Processos de escolarização no distrito federal: o que dizem os profissionais da escola sobre a inclusão de surdos?

DSpace Repository

A- A A+

Processos de escolarização no distrito federal: o que dizem os profissionais da escola sobre a inclusão de surdos?

Show full item record

Title: Processos de escolarização no distrito federal: o que dizem os profissionais da escola sobre a inclusão de surdos?
Author: SILVA, Carine Mendes da
Abstract: A inclusão educacional de surdos tem sido frequentemente debatida, especialmente, pela condição bilíngue e bicultural dos alunos, que exige práticas diferenciadas de ensino. Os surdos, público cujo desenvolvimento apresenta características singulares, são sujeitos que vivem uma experiência com a língua(gem) dependente de um canal distinto (os sinais), que privilegia experiências gestuais e visuais. Seu desenvolvimento, portanto, ocorre a partir da Língua de Sinais, pois ela é a língua acessível aos surdos e fundamental para inseri-los em processos dialógicos correntes no meio em que vivem, permitindo a sua construção subjetiva e identitária. Reconhecendo tais peculiaridades, as atuais políticas públicas defendem o bilinguismo como modelo educativo ideal para o desenvolvimento do surdo. Considerando o impacto de tais dinâmicas escolares busca-se, neste estudo, investigar os posicionamentos dos profissionais a respeito da inclusão desses estudantes. O objetivo foi entender a visão dos educadores acerca dos elementos principais demandados pelos alunos: estratégias pedagógicas e a Língua de Sinais somados aos desafios derivados do processo formativo de sujeitos biculturais. Participaram da investigação oito sujeitos: a diretora, o supervisor pedagógico, a coordenadora de linguagens e códigos, a coordenadora de humanas, o coordenador de exatas, o professor de português como segunda língua, a professora da sala de recursos e a intérprete de Libras. O trabalho de campo foi realizado em uma escola de ensino médio da rede pública, do Distrito Federal, por meio de entrevistas semiestruturadas. A pesquisa foi desenvolvida em três momentos: a) a reunião preliminar com os participantes, b) a 1ª etapa de entrevistas com os profissionais (individualmente) e c) 2ª etapa de entrevistas, também de cunho individual, com cada um dos participantes. As entrevistas foram videogravadas e realizadas pela pesquisadora nas dependências da escola, entre o primeiro e o segundo semestre de 2013. As vídeogravações foram integralmente transcritas para a análise. Das análises depreendeu-se três eixos importantes sobre os posicionamentos dos profissionais: a) a visão acerca da surdez e estratégias pedagógicas pertinentes aos surdos; b) a centralidade (ou não) da Língua de Sinais para o desenvolvimento bicultural dos surdos e c) os principais desafios para a escola no tocante à inclusão dos sujeitos com desenvolvimento bicultural. O estudo aponta divergentes olhares sobre o surdo e a surdez, que refletem a forma como os educadores entrevistados conduzem as práticas de ensino: alguns comprometidos com os aspectos culturais e políticos dos surdos, outros alheios a essas condições. Além disso, eles formularam críticas aos processos de escolarização dos surdos, chamando a atenção para o papel da Língua de Sinais nesse contexto; aspecto primordial na implementação de projetos acadêmicos bilíngues que se comprometem com o êxito acadêmico dos surdos e com o seu desenvolvimento bicultural.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/190790
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View
SILVA Carine Mendes da 2014 (dissertação) UnB.pdf 695.1Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar