Por que tornar-se professor de física?

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Por que tornar-se professor de física?

Mostrar registro completo

Título: Por que tornar-se professor de física?
Autor: Simões, Bruno dos Santos
Resumo: Neste trabalho temos como objetivo contribuir com a discussão sobre a importância de aspectos relativos ao domínio afetivo no processo de escolha da carreira de professor de Física, decisão que por muito tempo foi tratada como sendo apenas de cunho cognitivo. Partimos do pressuposto que elementos do domínio afetivo, como crenças, atitudes, emoções, expectativa de reviver emoções positivas, entre outros, são aspectos que interferem de maneira significativa na escolha por uma carreira. Essa influência pode ocorrer de forma positiva, aproximado o indivíduo de determinada área, ou de maneira negativa, o afastando. Certas crenças influenciam fortemente no interesse das pessoas por determinado objeto ou atividade, e se a esses objetos ou atividades são atribuídas experiências emocionais positivas e do interesse, a busca e a valorização destes torna-se natural. Nosso intuito está em evidenciar essas influências e a maneira como esses aspectos influenciam na decisão por iniciar uma carreira de professor de Física. Para tanto, desenvolvemos uma investigação com licenciandos das quatro primeiras fases da graduação em duas universidades públicas, UFSC e UNIFEI. Na análise das entrevistas buscamos elementos relativos às crenças de autoeficácia dos acadêmicos, a experiências emocionais positivas e do interesse que possam ter tido pela Física ou pela docência, a suas relações com a profissão de professor e com seus professores durante o período escolar e as atribuições que fazem para terem optado pela licenciatura em Física. Nessas condições concluímos que as crenças são cruciais no processo de escolha de uma carreira, com destaque para as crenças de autoeficácia que se mostraram importantes no surgimento do interesse pela área. Em seguida chamamos atenção ao aspecto relativo à expectativa em reviver emoções positivas com a Física. Vários licenciandos mencionam esse fator como motivador na escolha da profissão, ficando evidente que ao proporcionar atividades que possam ser significativas e que de alguma forma possam trazer emoções positivas aos alunos, é possível agregar maior interesse por carreiras voltadas à ciência, em particular à Física. Os licenciandos apontaram ao menos uma experiência emocional positiva e do interesse com algum objeto ou atividade ligada à Física ou a docência e que isso de certo modo os influenciou na escolha do curso. Outro fator importante são as atribuições que esses graduandos fizeram à sua escolha, assumindo a responsabilidade e o controle de sua escolha pela carreira/profissão de professor de Física. Por fim, os licenciandosdestacaram diversos aspectos para sua escolha, como busca por status, colocação no mercado de trabalho, autoeficácia elevada em atividades da área, emoções positivas vividas sob o contexto da disciplina. Porém, todas essas experiências tiveram presente a figura de um professor ou de vários professores. Todos os graduandos apontaram algum docente que de alguma forma os marcou positivamente e que direta ou indiretamente os motivou a optarem pela licenciatura em Física. De todo modo, verificamos que as principais atribuições para a escolha da Física foram uma elevada autoeficácia em atividades da área e contínuas experiências emocionais positivas e do interesse. Já para a escolha da licenciatura, o fator determinante na maioria dos casos foi a relação afetiva que esses licenciandos criaram com seus professores durante sua vivência escolar, aspectos como admiração, querer ser igual, amizade, ser engraçado, entre outros, apareceram durante as falas dos entrevistados como características que eles desejam possuir enquanto futuros professores. <br>Abstract : In this work, we aim to contribute to the discussion about the importance of aspects related to the affective domain in the process of choosing the Physics teacher career ? a decision that was treated as a merely cognitive slant for a long time. We assume that affective domain elements such as beliefs, attitudes, emotions, expectation of reviving positive emotions, among others, are aspects that interfere significantly in choosing a career. This influence can occur in a positive way, driving the individual to a particular area, or negatively, pushing him away. Certain beliefs strongly influence people?s interest for a particular object or activity. If positive emotional experiences and experiences of interest are assigned to those objects or activities, the search for and the appreciation of them becomes natural. Our intention is to highlight those influences and how these aspects influence the decision of starting a Physics teacher career. For this, we carried out a research with undergraduate students of the first four semesters of a Licentiate degree in Physics, in two public universities, UFSC and UNIFEI. In the analysis of the interviews, we sought information related to the students? self-efficacy beliefs; to the positive emotional experiences and experiences of interest they may have had related to Physics or teaching; to their relation with the teaching profession and with their teachers at school and why they have opted for a Licentiate degree in Physics. We concluded that beliefs are crucial in the process of choosing a career ? we highlight here the self-efficacy beliefs that proved its importance in the emergence of interest for the area. Then we call attention to the aspect related to the expectation in reviving positive emotions with Physics. Several undergraduate students mention this factor as a motivator in choosing their profession, evidencing that, by providing activities that may be significant and that somehow can bring positive emotions to the students, it is possible to increase interest in careers focused on science, particularly on Physics. The undergraduate students showed at least one positive emotional experience or experience of interest with some object or activity related to Physics or teaching and that this influenced them in choosing that course somehow. Another important factor are the reasons why the undergraduate students made their choice, taking responsibility and control of the Physics teacher career choice. Finally, the undergraduate students highlighted various aspects for their choice such as searching for status, placement in the labor market, high self-efficacy in the area activities and positive emotions experienced in the context of the discipline. However, all these experiences had the presence of a teacher or several teachers. All undergraduate students mentioned some teacher that somehow marked them positively and that, directly or indirectly, motivated them to opt for a degree in Physics. Anyway, we see that the main reasons for choosing Physics were a high self-efficacy in the area activities and continuous positive emotional experiences and experiences of interest. For the choice of a Licentiate degree, the determining factor, in most cases, was the affective relationship that these undergraduate students built with their teachers during school experience. Thus, aspects like admiration, desire of being like their teachers, friendship, being funny, among others, appeared during the interviewee?s speeches as characteristics that they wish to have as future teachers.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Florianópolis, 2013
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107004
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
317614.pdf 1.301Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar