Estruturas possessivas: aquisição de posse funcional e posse inalienável no português brasileiro

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Estruturas possessivas: aquisição de posse funcional e posse inalienável no português brasileiro

Mostrar registro completo

Título: Estruturas possessivas: aquisição de posse funcional e posse inalienável no português brasileiro
Autor: Mendes, Fernanda
Resumo: Essa dissertação está inserida no quadro gerativista e tem como objetivo principal observar e descrever de que forma se dá o aparecimento e a estruturação sintática das construções possessivas funcionais e inalienáveis dentro da fala de crianças adquirindo o PB, comparando com a fala adulta, dado que o input contém um sistema não uniforme, ao menos para a expressão da posse funcional. Os dados de aquisição utilizados na presente pesquisa são de produção espontânea de três crianças, a saber: AC, de Porto Alegre/RS, na faixa etária entre 1;08 a 3;07; G, de Porto Alegre/RS, na faixa etária entre 1;10 a 3;06 e R, de Campinas/SP, na faixa etária entre 1;07 a 3;04. Para a análise dos dados funcionais esta pesquisa se baseou, principalmente, no trabalho de Castro (2006), que faz uma descrição detalhada de como se comportam os possessivos funcionais no PE e no PB. Além disso, a autora propõe uma análise alternativa à análise tradicional para o DP, contemplando as estruturas que envolvem os possessivos funcionais, e assume que estes elementos são gerados na posição de superfície, dispensando a operação de movimento. Dessa forma, o possessivo simples pré-nominal se localiza em D, carregando os traços relevantes de gênero e número. Para a análise dos dados inalienáveis esta pesquisa se baseou, mormente, no trabalho de Guéron (1985), que trata de estruturas inalienáveis constituídas de determinante definido + nome, em que o nome faz referência a uma parte do corpo e o determinante pode ser considerado uma anáfora pronominal ou um operador, casos em que atribui a interpretação inalienável e alienável, respectivamente. A autora também trata de construções inalienáveis que colocam em jogo um PP. Essa autora propõe ainda que as construções inalienáveis se sujeitam às restrições de anáfora e cadeia lexical, além da restrição da não-distintividade. Os resultados acerca das estruturas de posse funcional obtidos nessa pesquisa corroboram a análise de Castro (2006), pois desde as primeiras faixas etárias analisadas, se podem encontrar possessivos simples pré-nominais, o que não seria possível se movimento fosse necessário. A análise de Guéron (1985) é parcialmente confirmada pelos resultados obtidos das estruturas de posse inalienável nesta pesquisa, já que, em faixas etárias mais jovens, o possuidor não está presente na sentença em que se encontra o possuído, ferindo as restrições propostas pela autora.This thesis is embedded in the generative framework and main objective is to observe and describe how it gives the appearance and syntactic structure of possessive constructions in functional and inalienable rights of speech of children acquiring the PB, compared to adult speech as the input contains a non-uniform, at least for the expression of functional ownership. The data acquisition used in this research are spontaneous production of three children, namely: AC, Porto Alegre / RS, aged 1;08-3;07; G, Porto Alegre / RS, aged between 1;10-3;06 and R, Campinas / SP, aged 1;07-3;04. For the analysis of functional data this research was based mainly on the work of Castro (2006), which gives a detailed description of how they behave possessives functional PE and PB. Furthermore, the author suggests an alternative to the traditional to the DP, taking in the structures surrounding the possessive function, and assumes that these elements are generated in the position of the surface, eliminating the operation of motion. Thus, the possessive simple pre-nominal is located in D, carrying traits relevant to gender and number. For data analysis inalienable this research was based, especially in the work of Guéron (1985), which is inalienable structures consist of determining set + name, where the name refers to a body part and the determinant can be considered a pronominal anaphora or an operator, where it attaches to the interpretation inalienable and alienable, respectively. The author also deals with building rights which bring into play a PP. This author also suggests that the inalienable constructions are subject to restrictions on anaphora and lexical chain, and the restriction of non-distinctiveness. The results about the functional ownership structures obtained in this study corroborate the analysis of Castro (2006), because from the earliest ages analyzed, can be found possessive simple pre-nominal, which would not be possible if the movement was necessary. Analysis of Guéron (1985) is partially supported by the results of inalienable possession structures in this study, as in younger age groups, the possessor is not present in the sentence you are in the possession, hurting the restrictions proposed by the author.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2010
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93943
Data:


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
279657.pdf 1.921Mb PDF Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar