El Che vive: memory, cinema,art andpolitics

DSpace Repository

A- A A+

El Che vive: memory, cinema,art andpolitics

Show full item record

Title: El Che vive: memory, cinema,art andpolitics
Author: Maya Neto, Olegario da Costa
Abstract: Che Guevara, morto há mais de cinquenta anos, surpreende por seu persistente ressurgimento através de imagens. Essa fascinação pelas imagens de Che se explica pelo conceito da ansiedade de lembrar e não-lembrar, fruto da demanda de rememoração e redenção ? no sentido Benjaminiano (LÖWY; BENJAMIN, 2005) ?, a qual é expressa através do olhar fantasmagórico de Che. Tal olhar fantasmagórico é ambivalente podendo potencialmente levar a imaginações artísticas e ações emancipatórias que recriem Che, ou a apropriações capitalistas ou outras formas de tentar controlar as imagens de Che. Na tese, são criadas algumas pontes entre o Marxismo e o pensamento decolonial, tal como entre o conceito de ação criativa Arendtiana (1998), da consciência antecipatória de Bloch (1996) e a cosmovisão ancestral (WILSON, 2001; LACLAU, 2016; ANZALDUA, 2012), e no entendimento amplo do conceito de alienação/fetiche. Diversos exemplos contemporâneos de imaginações artísticas e ações emancipatórias são discutidos, desafiando a retórica de suposta irrelevância política das imagens de Che. Tentativas de apropriação por corporações capitalistas, por um movimento nazista e por um artista gráfico também são discutidos a partir de uma redefinição ampla da teoria da alienação. Um conto e dois poemas de minha autoria sobre Che também são discutidos na tese, assim como cinco filmes: The Last Hours of Che Guevara (THE LAST HOURS, 2016), El Dia que Me Quieras (EL DIA, 1997), El Che de los Gays (EL CHE DE LOS GAYS, 2004), Personal Che (PERSONAL CHE, 2007), and Che! (1969).</br>Abstract:Che Guevara, who died more than fifty years ago, keeps resurging through images. This fascination with Che's images is explained by the concept of the anxiety of remembering and non-remembering, caused by the demand for remembrance and redemption ? in the Benjaminian sense (LÖWY; BENJAMIN, 2005) ?, which is expressed through Che's ghostly look. Such a ghostly look is ambivalent and can potentially lead to artistic imaginations and emancipatory actions that recreate Che, or to capitalist appropriations or other ways of trying to control Che's images. In this doctoral dissertation, some bridges are created between Marxism and decolonial thought, such as between the Arendt?s concept of creative action (ARENDT, 1998), Bloch's anticipatory consciousness (BLOCH, 1996) and cosmovision (WILSON, 2001; LACLAU, 2016; ANZALDUA , 2012), and in the broad understanding of the concept of alienation / fetish. Several contemporary examples of artistic imaginations and emancipatory actions are discussed, challenging the rhetoric of supposed political irrelevance of Che's images. Attempts at appropriation by capitalist corporations, by a Nazi movement and by a graphic artist are also discussed from a plural redefinition of the theory of alienation. A short story and two poems of my own about Che are also discussed in the dissertation, as well as five films: The Last Hours of Che Guevara (THE LAST HOURS, 2016), El Dia que Me Quieras (EL DIA, 1997), El Che de los Gays (EL CHE DE LOS GAYS, 2004), Personal Che (PERSONAL CHE, 2007), and Che! (1969).
Description: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Inglês: Estudos Linguísticos e Literários, Florianópolis, 2020.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/216457
Date: 2020


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar