(Re)pensando a avaliação: uma etnografia sobre o uso do portfólio na aula de língua portuguesa no ensino fundamental

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

(Re)pensando a avaliação: uma etnografia sobre o uso do portfólio na aula de língua portuguesa no ensino fundamental

Mostrar registro completo

Título: (Re)pensando a avaliação: uma etnografia sobre o uso do portfólio na aula de língua portuguesa no ensino fundamental
Autor: Oliveira, Ana Carolina Rosa Posuelo de
Resumo: Este trabalho tem por objetivo discutir o desenvolvimento do portfólio como uma prática avaliativa na sala de aula de Língua Portuguesa. Para isso, investigo como a professora e os alunos de uma turma de 7º ano de uma escola pública estadual de Santa Catarina utilizam essa prática avaliativa, analisando e problematizando o modo como os participantes se envolvem nesse processo. Fundamentada em estudos da área da avaliação educacional e da avaliação da aprendizagem de línguas (LUCENA, 2006; LUCKESI, 1996, 2002; PERRENOUD, 1999; GARCEZ; SCHLATTER, 2012; TOMAZONI, 2005) e, mais especificamente, do portfólio (LOPES, 2015; MELO; FERRAZ; PICCOLO, 2010; SEIFFERT, 2001; VILLAS-BOAS, 2012), discuto essa prática avaliativa a partir do olhar da Linguística Aplicada (ANTUNES, 2003; 2009; BAKHTIN, 1997[1979]; SIGNORINI, 2002, 2004, 2006, 2010; SIMÕES, 2012). O presente trabalho entende o portfólio como uma prática avaliativa pautada na documentação das produções dos alunos com vistas à análise do processo de ensino e aprendizagem ao longo de determinado tempo. Nessa prática, o professor coordena o trabalho pedagógico e facilita a aprendizagem (VILLAS-BOAS, 2012) em uma parceria com os alunos, que buscam adquirir, ao longo do trabalho, compreensão de seu processo de ensino e aprendizagem. Em Língua Portuguesa, o portfólio proporciona o registro de diferentes produções, em diferentes gêneros e linguagens, para a compreensão dos sucessos e das dificuldades dos alunos em leitura, escrita, análise linguística e oralidade. Assim, é uma prática condizente com uma avaliação formativa, diagnóstica e inclusiva. Esta pesquisa foi desenvolvida a partir de uma etnografia, aqui entendida como um procedimento teórico-metodológico voltado à investigação de um contexto situado a partir do olhar para as práticas sociais dos participantes (ERICKSON, 1990; GARCEZ; SCHULZ, 2015; LUCENA, 2014; MASON, 1996). Especificamente nesta pesquisa, a etnografia teve a intenção de refletir sobre os significados que os participantes da sala de aula da turma A da Escola Cidadã dão ao portfólio como prática de avaliação. Os dados foram gerados a partir do portfólio, das observações de aulas, de conversas informais e de entrevistas. A análise de dados foi empreendida a partir de três categorias que emergiram durante a geração dos dados e que têm como temas principais o protagonismo (ou não) dos participantes; o portfólio, a avaliação da aprendizagem e práticas autoritárias; e, ainda, a gramática da turma A: entre a língua mais formal possível e uma linguagem mais coloquial . Os resultados dessa pesquisa indicam que discursos socialmente legitimados perpassaram as atitudes dos participantes durante a avaliação através do portfólio na sala de aula de Língua Portuguesa da turma A. Assim, durante essa prática, ficou evidente que a professora e os alunos dessa turma orientaram algumas de suas ações a partir de discursos nos quais a professora era considerada a protagonista e responsável pelo ato de avaliar, enquanto os alunos, pacificamente, recebiam suas avaliações. Também foi possível ver que, em certos momentos, a avaliação foi usada como uma prática de controle dos comportamentos dos alunos, sendo utilizada como um recurso para discipliná-los na sala de aula. Outro discurso reproduzido pelos participantes foi o de uma avaliação em Língua Portuguesa voltada para as noções de erro e correção frente à norma culta. Mesmo que em determinadas situações houvesse atitudes e tentativas de desestabilização desses discursos, a prática do portfólio acabou, na maioria das vezes, sustentando paradigmas já sedimentados sobre avaliação da aprendizagem em Língua Portuguesa, em vez de um paradigma que busca uma prática inclusiva, democrática, voltada para a aprendizagem e para diferentes repertórios linguísticos dos alunos. Os resultados apresentados nesta pesquisa contribuem para se pensar em novos olhares acerca da avaliação em Língua Portuguesa, principalmente práticas que sejam sensíveis às realidades e singularidades da aula de Língua Portuguesa de cada contexto escolar.Abstract : This study aims to discuss the portfolio development as an assessment practice in the Portuguese classroom. In order to do that, I investigate how teacher and students of a 7th grade class from a state public school in Santa Catarina use this assessment practice, analyzing and questioning the way participants get involved in this process. Based on studies of educational assessment and language assessment (LUCENA, 2006; LUCKESI, 1996, 2002; PERRENOUD, 1999; GARCEZ; SCHLATTER, 2012; TOMAZONI, 2005) and, more specifically, portfolio (LOPES, 2015; MELO; FERRAZ; PICCOLO, 2010; SEIFFERT, 2001; VILLAS-BOAS, 2012), I discuss this assessment practice from the Applied Linguistics perspective. (ANTUNES, 2003; 2009; BAKHTIN, 1997[1979]; SIGNORINI, 2002, 2004, 2006, 2010; SIMÕES, 2012). The present study considers portfolio as an assessment practice based on the documentation of the students productions with the purpose of analyzing the teaching and learning process over a given time. In this practice, the teacher coordinates the pedagogical work and facilitates the learning process (VILLAS-BOAS, 2012) in a partnership with the students, who seek to achieve, throughout the work, a comprehension of their learning process. In Portuguese, the portfolio provides a documentation of different productions, in different discourse genres and languages, for the comprehension of the students successes and difficulties in reading, writing, linguistic analysis and speaking. Therefore, the portfolio is a practice consistent with a formative, diagnostic and inclusive assessment. This investigation was developed out of an ethnography, here understood as a theoretical-methodological procedure which aims to investigate a situated context focusing the view in the social practices of the participants (ERICKSON, 1990; GARCEZ; SCHULZ, 2015; LUCENA, 2014; MASON, 1996). Specifically, in this research, ethnography intended to reflect on the meanings that the classroom participants of class A of Escola Cidadã give to portfolio as an assessment practice. Data were generated from the portfolio, classes observations, informal conversations and interviews. The data analysis was done according to three categories that emerged during the data generation, whose main themes are the empowerment (or not) of the participants, portfolio, learning assessment and authoritarian practices and, also, the grammar of class A: between the most formal language possible and colloquial language . The results of this research indicate that socially legitimized discourses run through the participants attitudes during the assessment through portfolio in the Portuguese language classroom of class A. Given this, during this practice, clearly the teacher and the students of class A oriented some of their actions from discourses in which the teacher was considered the empowered and responsible person for the act of evaluating, while the students, peacefully, received their evaluations. It was also possible to see that, at certain moments, assessment was used as a control practice of the students behaviors, being used as a resource to discipline them in the classroom. Another discourse that was reproduced by the participants was the one of a Portuguese assessment based on the notions of right and wrong according to standard rules of Portuguese. Even though in certain situations there were attitudes and attempts to disrupt these discourses, the portfolio practice ended, most of the time, supporting already established paradigms on learning assessment in Portuguese, as opposed to a paradigm that seeks an inclusive, democratic, based on learning and on different linguistic repertoires of the students. The results presented in this research contribute to the consideration of new perspectives on Portuguese language assessment, especially practices which aims to be sensitive to the realities and singularities of the Portuguese class in each school context.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Florianópolis, 2018.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/192938
Data: 2018


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
PLLG0740-D.pdf 1.634Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar