O Phantasus, de Arno Holz, e a tradução de poesia de vanguarda

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

O Phantasus, de Arno Holz, e a tradução de poesia de vanguarda

Mostrar registro completo

Título: O Phantasus, de Arno Holz, e a tradução de poesia de vanguarda
Autor: Mello, Simone Maria Lopes de
Resumo: Esta investigação prático-teórica sobre a tradução de poesia de vanguarda tem como objeto o poema-livro Phantasus, do escritor alemão Arno Holz (1863-1929). O projeto de tradução de 40 fragmentos da edição de 1916 de Phantasus para o português do Brasil parte da premissa de que a concepção de linguagem poética realizada pela obra literária, especialmente de vanguarda, revela a singularidade estética e histórico-literária do original, representando um ponto de partida adequado para um projeto de tradução. A presente tradução objetiva uma correspondência com o movimento de textualização ou com a dinâmica escritural acionada pelo impulso de linguagem a ser extraído do texto original. Após apontar as aporias poético-conceituais que geram a instabilidade da linguagem no Phantasus de 1916, faz-se um cotejo de traduções integrais e parciais, de todas as edições da obra, para o francês, inglês, italiano e português. De acordo com os mesmos parâmetros do cotejo, caracteriza-se a presente proposta da tradução, cuja fundamentação teórica mostra afinidades com o pensamento teórico de Haroldo de Campos e de Henri Meschonnic, bem como divergências em relação a ambos. O foco em uma concepção de tradução baseada no impulso ou no movimento da linguagem poética em defesa de e/ou em oposição a discursos poetológicos tradicionais ou contemporâneos aponta para a possibilidade de se transporem as presentes conclusões para a tradução de poesia de vanguarda em geral.Abstract : The object of this practical and theoretical investigation about the translation of vanguard poetry is the long poem Phantasus, by the German writer Arno Holz (1863-1929). The proposed translation of 40 fragments of Phantasus' 1916 edition into Brazilian Portuguese departs from the assumption that the conception of poetic language accomplished by a piece of literature, especially vanguard literature, reveals its aesthetical and literary historical uniqueness, representing consequently an appropriate starting point for a translation project. The present translation aims at a correspondance to the textualization movement or to the writing dynamics that is taken into action by the language impulse of the original text. After pointing out some aporias that lead to the language instability in Phantasus' 1916 edition, this study compares complete and partial translations of different versions of the poem into English, French, Italian and Portuguese. The same comparison criteria provide the basis for the description of this translation proposal, whose theoretical approach has affinities to, but in some points also diverges from the translation theories of Haroldo de Campos and Henri Meschonnic. The focus on a translation conception based on the poetic language impulse or movement in defense of and/or in opposition to traditional or contemporary poetological discourses points to the possibility of transposing the present conclusions to vanguard poetry in general.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2017.
URI: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/183435
Data: 2017


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
350246.pdf 1.834Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Compartilhar