Variáveis macroeconômicas e o comportamento do investimento estrangeiro em carteira: uma análise para o caso brasileiro de 2001 a 2011

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Variáveis macroeconômicas e o comportamento do investimento estrangeiro em carteira: uma análise para o caso brasileiro de 2001 a 2011

Mostrar registro completo

Título: Variáveis macroeconômicas e o comportamento do investimento estrangeiro em carteira: uma análise para o caso brasileiro de 2001 a 2011
Autor: Demos, Guilherme do Livramento
Resumo: O presente estudo analisa o fluxo de investimento estrangeiro em carteira direcionado à economia brasileira em conjunto com sua variação frente ao comportamento das seguintes variáveis macroeconômicas: taxa de câmbio nominal, índice de preços ao consumidor amplo, taxa básica de juros SELIC, Índice Bovespa, Risco-País (EMBI+Br) e Treasury bills norte americanas. Para tanto, utiliza-se de ferramentas estatísticas, gráficas e econométricas visando explicitar os mecanismos determinantes do fluxo externo de capital direcionado ao mercado acionário e ao mercado de renda-fixa. Conclui-se que as variáveis determinantes para o fluxo líquido do investimento estrangeiro em carteira diferem das variáveis que determinam seu acúmulo. Enquanto para sua trajetória acumulada as variáveis SELIC, Ibovespa e Risco-País apresentam-se positivamente correlacionadas, taxa de câmbio nominal, IPCA, SELIC e Treasury bills parecem se relacionar de forma negativa. Para seu fluxo líquido foram as variáveis IPCA, SELIC e Ibovespa que se correlacionaram de forma positiva enquanto SELIC e apresentaram uma relação negativa. Para as subcontas de ações e renda-fixa, verifica-se que seus respectivos determinantes também diferem. Enquanto câmbio nominal, SELIC e Ibovespa atuam de forma positiva frente ao acúmulo do investimento estrangeiro em ações, IPCA, Risco-País e Treasury bills se comportam de forma negativa. Para seu fluxo líquido observa-se cambio, Ibovespa e EMBI atuando de forma positiva enquanto cambio e EMBI se relacionam de forma negativa. Para o investimento estrangeiro em renda-fixa, parece atuar de forma positiva sobre seu acúmulo somente o Risco-País enquanto que a variação cambial, IPCA e atuam de forma negativa. Para o fluxo líquido do investimento estrangeiro em renda-fixa foi constatado a atuação positiva das variáveis IPCA e SELIC, enquanto tcambio, SELIC e Treasury bills parecem atuar de forma negativa. Sua relação com a dinâmica econômica nacional é ambígua devido ao risco da reversão repentina de seus fluxos, frente à momentos de instabilidade dos mercados.
Descrição: TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Ciências Econômicas.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/120961
Data: 2011


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
302753.pdf 842.0Kb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar