Biologia de Pteria hirundo, ostra perlífera nativa do Brasil

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Biologia de Pteria hirundo, ostra perlífera nativa do Brasil

Mostrar registro completo

Título: Biologia de Pteria hirundo, ostra perlífera nativa do Brasil
Autor: Alves, Rafael
Resumo: Com o objetivo de estudar a biologia da ostra perlífera nativa Pteria hirundo, foram coletados no período de 2006 a 2009 espécimes oriundos de reprodução em laboratório, sendo: 240 juvenis para determinar o início da maturação sexual; 480 adultos para identificação da proporção sexual e 740 para caracterização do ciclo reprodutivo; 250 para identificação de biofouling e 20 para análise anatômica. Para inferir a proporção sexual foi utilizado o teste ÷2. A concha de P. hirundo varia de vermelho a castanho, com charneira reta terminada em projeções aliformes A face interna é ricamente nacarada. O manto possui na borda três lóbulos com tentáculos paliais no medial e no interno. As brânquias são do tipo B (1b) de Atkins, com agrupamentos de 12 a 15 filamentos. A boca é margeada por palpos labiais, tendo um estômago do tipo III de Purchon. O intestino se divide em descendente anterior, ascendente anterior e descendente posterior (reto). A glândula digestiva envolve o estômago e é envolvida pelas gônadas. Possui gânglios cerebrais na região ânterodorsal, viscerais pequenos na região ântero-ventral do adutor e pediais, fusionados, na base do pé. Apresenta um olho cefálico na base de cada palpo. Os primeiros indícios de gônadas surgiram em machos com 10 semanas de vida; o primeiro indivíduo maduro com 14 semanas e, as primeiras fêmeas, com 18. O teste ÷2 evidenciou o equilíbrio na proporção entre os sexos (1:1). Os animais demonstraram atividade de desova ao longo de todo o ano, sendo maior nos meses com água mais quente, praticamente inexistindo períodos de repouso. No fouling foram encontradas 34 espécies animais dos filos: Porifera, Cnidaria, Platyhelminthes, Ectoprocta, Crustacea, Annelida, Mollusca, Echinodermata e Urochordata. Foram coletados 26 crustáceos da espécie Charybdis hellerii nas lanternas de cultivo, desses siris, 15 eram machos e 11 fêmeas (6 ovígeras). Este estudo conclui que a ostra perlífera P. hirundo é hermafrodita sequencial protândrica e apresenta uma maturação sexual precoce, alcançando uma proporção de 1:1 entre machos e fêmeas e se mantendo estável. Possui um ciclo reprodutivo contínuo, com as épocas de eliminação de gametas associadas à elevação da temperatura da água do mar.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Aqüicultura, Florianópolis, 2010
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93915
Data:


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
286308.pdf 6.277Mb PDF Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar