Determinantes da atividade física e estágios de mudança de comportamento em adolescentes

DSpace Repository

A- A A+

Determinantes da atividade física e estágios de mudança de comportamento em adolescentes

Show full item record

Title: Determinantes da atividade física e estágios de mudança de comportamento em adolescentes
Author: Souza, Gustavo de Sá e
Abstract: Estudos relacionados ao comportamento em relação à prática de atividades físicas vêm despertando um interesse cada vez maior nos pesquisadores, no entanto, especialmente em adolescentes ainda há uma carência bastante significativa. O objetivo deste estudo, classificado como do tipo descritivo correlacional, foi descrever a prevalência e classificar os determinantes da atividade física (barreiras e facilitadores - classificados nas dimensões pessoal, fisiológica, social, econômica, programática e ambiental), considerando os Estágios de Mudança de Comportamento (EMC), em adolescentes do ensino médio, da cidade do Recife, Pernambuco. Os sujeitos, com média de idade de 16,2+1,1 (14 a 19 anos) foram selecionados em uma amostragem por conglomerados, totalizando 2.271 estudantes (1.022 rapazes e 1.249 moças), de 29 escolas de ensino privado. Características sócio-demográficas, determinantes da atividade física (incluindo a percepção pelos filhos do nível de atividade física dos pais) e EMC foram levantados mediante aplicação de um questionário para auto-relato. As análises foram feitas usando a estatística descritiva, o teste do Qui-quadrado, a correlação de Spearman e o teste U de Mann-Whitney, (p<0,05). Os estudantes apresentaram as seguintes características: 66,3% pertenciam a classe econômica A1 e A2, 87,2% residiam na cidade do Recife. Dentre as barreiras para atividade física a dimensão prevalente foi a social, enquanto aos facilitadores prevaleceu a dimensão pessoal. A principal barreira relatada pelos jovens foi a preguiça/falta de vontade, enquanto o principal facilitador foi o gostar/ter vontade de realizar atividades físicas. Na amostra total, 61,6% dos adolescentes eram inativos ou irregularmente ativos, sendo os rapazes mais ativos que as moças. Dentre as atividades físicas preferidas, 67,0% relataram a atividade aeróbica como favorita, com a maioria (55,7%) utilizando a caminhada para chegar ao local de prática. As moças perceberam suas mães como sendo mais ativas fisicamente do que a percepção dos rapazes. Com relação aos EMC, dentre as moças, 36,9% estavam no estágio de preparação e dentre os rapazes 35,9% estavam no estágio de manutenção. Sugerem-se a criação de intervenções em escolas da região nordeste, com o intuito de incentivar a prática de atividades físicas, principalmente nas moças, que contemplem opções escolhidas pelos jovens, reformas estruturais para adequar horários/atividades, como formas eficazes de mudança de comportamento em relação às atividades físicas.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos. Programa de Pós-Graduação em Educação Física.
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/86564
Date: 2003


Files in this item

Files Size Format View
190970.pdf 897.1Kb PDF Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar