Infâcia e (de)colonialidade: reflexões sobre a formação humana

DSpace Repository

A- A A+

Infâcia e (de)colonialidade: reflexões sobre a formação humana

Show simple item record

dc.contributor Universidade Federal de Santa Catarina
dc.contributor.advisor Moura, Rosana Silva de
dc.contributor.author Pozzer, Suzan Alberton
dc.date.accessioned 2019-05-09T15:15:28Z
dc.date.available 2019-05-09T15:15:28Z
dc.date.issued 2018
dc.identifier.other 357940
dc.identifier.uri https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/195824
dc.description Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2018.
dc.description.abstract Esta pesquisa se propõe refletir em que medida as ideias sobre infância podem conter, ou não, aspectos coloniais e assim, influir no processo de formação humana da criança. O caminho investigativo se dá a partir de uma metodologia de interpretação orientada pelo princípio da circularidade hermenêutica de cunho bibliográfico-qualitativo. Para tanto, iniciamos o primeiro capítulo com a hermenêutica filosófica de Wilhelm Dilthey, onde também abordamos seu conceito de vida como o elemento central que permeia as relações. No segundo capítulo, resgatamos a historicidade da infância em Philippe Ariés e Fábio Pestana Ramos. Em seguida, nos apropriando das interpretações de infância em Renè Schérer, propomos (re)pensar a construção da ideia de infância. Tratamos do conceito de (de)colonialidade, no terceiro capítulo, buscando em autores como Anibal Quijano, Walter Mignolo e Catherine Walsh a compreensão que nos auxilia no deslocamento do conceito de colonialidade/decolonialidade, para o conceito proposto nesta pesquisa. E no último capítulo refletimos sobre a formação humana no que tange à infância e à (de)colonialidade.
dc.description.abstract Abstract : This dissertative research proposes to reflect in what extent the ideas about childhood may or may not contain colonial aspects and, thus, influence the process of human formation of the child. The investigative path arises from a methodology of interpretation guided by the principle of the hermeneutical circularity, in a bibliographic and qualitative character. To do so, we began the first chapter with the philosophical hermeneutics of Wilhelm Dilthey, where we also approach his concept of Life as the central element that permeates relationships. In the second chapter, we rescued the historicity of childhood in Philippe Ariés and Fábio Pestana Ramos. Then, appropriating the interpretations of childhood in Renè Schérer, we propose to think/rethink the construction of the idea of childhood. We will deal with the concept of coloniality/decoloniality in the third chapter, searching in authors such as Anibal Quijano, Walter Mignolo and Catherine Walsh, the understanding that helps us to move the concept of coloniality/ decoloniality, trying to reach the concept proposed in this research. And in the last chapter we reflect on the human formation regarding childhood and coloniality/decoloniality. en
dc.format.extent 101 p.| il.
dc.language.iso por
dc.subject.classification Educação
dc.subject.classification Crianças
dc.subject.classification Infância
dc.title Infâcia e (de)colonialidade: reflexões sobre a formação humana
dc.type Dissertação (Mestrado)


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar