Comportamento agonístico de Coprophanaeus saphirinus (Coleoptera: Scarabaeinae) e influência do morfotipo do macho em confrontos assimétricos

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Comportamento agonístico de Coprophanaeus saphirinus (Coleoptera: Scarabaeinae) e influência do morfotipo do macho em confrontos assimétricos

Mostrar registro completo

Título: Comportamento agonístico de Coprophanaeus saphirinus (Coleoptera: Scarabaeinae) e influência do morfotipo do macho em confrontos assimétricos
Autor: Farina, Karina
Resumo: Os besouros da espécie Coprophanaeus saphirinus (Coleoptera: Scarabaeidae: Scarabaeinae) possuem diferenciação sexual, já que os machos apresentam cornos cefálicos, havendo dentro da mesma espécie machos com e sem hipertrofia do corno, o que pode ter sua explicação na seleção sexual. Neste estudo foi descrito o comportamento agonístico de machos dessa espécie, abundante na Mata Atlântica do sul do Brasil. As coletas foram realizadas na Grande Florianópolis, SC no verão de 2016, e os indivíduos foram mantidos em laboratório a 28ºC ± 2ºC com fotoperíodo de 12 horas e alimentados com carne suína apodrecida. Observações e vídeos de confrontos foram utilizados para realizar um etograma de machos em interações agonísticas, além de fotos (intervalos de 10 seg) em experimentos de dois dias de duração (com um dia de intervalo entre eles) com dois machos – um hipertrofiado e um atrofiado - e uma fêmea. Foram descritos treze comportamentos, categorizados em ofensivos (Intimidação, Invasão de Túnel, Investida Lateral, Investida Posterior, Luta Frontal, Remoção da Terra, Interrupção de Cópula e Virar o Adversário), defensivos (Fuga, Expulsão do Túnel, Vigília) e neutros (Posicionamento e Avaliação). Em confrontos assimétricos (machos de mofotipos diferentes) os comportamentos “Expulsão do Túnel” e “Intimidação” são realizados pelos machos de morfotipo hipertrofiado (U=3; p<0,01 e U=6; p<0,05, respectivamente) enquanto que “Fuga” e “Invasão de Túnel” são realizados por machos atrofiados (U=33; p<0,01 e U=32; p<0,05, respectivamente). Ainda não está claro se a hipertrofia do corno dos machos de C. saphirinus é devido à alimentação larval ou tem base genética, mas a alteração de comportamento em confrontos assimétricos pode levar a vantagens reprodutivas nos machos que a apresentem.
Descrição: TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Biológicas. Biologia.
URI: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/175219
Data: 2016-11-24


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
TCC Karina Farina.pdf 444.3Kb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar