Triagem anti-herpética de plantas medicinais & avaliação do mecanismo da ação de Strychnos pseudoquina A. St. Hil., Loganiaceae

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Triagem anti-herpética de plantas medicinais & avaliação do mecanismo da ação de Strychnos pseudoquina A. St. Hil., Loganiaceae

Mostrar registro completo

Título: Triagem anti-herpética de plantas medicinais & avaliação do mecanismo da ação de Strychnos pseudoquina A. St. Hil., Loganiaceae
Autor: Boff, Laurita
Resumo: Os produtos naturais constituem uma fonte de grande importância na descoberta de substâncias biologicamente ativas, desempenhando um papel fundamental na pesquisa e desenvolvimento (P&D) de novas terapias anti-herpéticas, como por exemplo, para o tratamento das infecções de mucosas e pele causadas pelos Herpes Simplex Virus tipos 1 e 2 (HSV-1 e HSV-2). Atualmente, o arsenal terapêutico anti-herpético é restrito e o surgimento de cepas resistentes ao tratamento de primeira escolha (aciclovir) tem dificultado o manejo dessas infecções. Nesse contexto, este trabalho teve como objetivo realizar uma triagem anti-herpética de plantas medicinais, visando identificar amostras com atividade promissora. Dentre as 103 amostras avaliadas, Calea phyllolepis e Strychnos pseudoquina apresentaram os melhores resultados. Por questões de ordem prática, a elucidação do mecanismo da ação anti-herpética foi realizada apenas com S. pseudoquina. Foram investigados os efeitos anti-HSV do extrato acetato de etila padronizado (EAEP), preparado com as cascas dos caules dessa planta, juntamente com seus dois compostos obtidos por meio de um fracionamento biomonitorado, a saber: quercetina 3-O-metil éter (3MQ) e strychnobiflavona (SBF). A SBF apresentou os resultados mais promissores quando comparados aos do EAEP, enquanto que a 3MQ não apresentou ação antiviral significativa, nas condições testadas. Em seguida, no intuito de determinar o mecanismo da ação anti-herpética do EAEP e da SBF, diferentes estratégias metodológicas foram utilizadas. Foi constatado que o mecanismo da atividade anti-herpética destas duas amostras frente ao HSV-1 parece ser mediado, parcialmente, pela sua ação virucida, pela inibição da adsorção, pós-adsorção e penetração viral, bem como pela redução da expressão das proteínas virais a, ß, e ?. Em relação ao HSV-2, a ação antiviral observada parece ser mediada, também parcialmente, pelo seu efeito profilático e ação virucida, bem como pela inibição da adsorção, pós-adsorção e penetração viral. Em resumo, os resultados apresentados para ambos os vírus, confirmaram que o EAEP e a SBF afetam as fases iniciais do ciclo de replicação dos HSV. <br>Abstract : Natural products constitute an important source of biologically active substances, playing a key role in the research and development (R&D) of novel antiherpes therapies; for example, in the treatment of skin and epithelial mucosa infections associated with Herpes Simplex Virus types 1 and 2 (HSV-1 and HSV-2). The current antiherpes drug options are restricted and the treatment of HSV infections with acyclovir has resulted in the emergence of resistant virus strains, hindering the management of such infections. In this study we performed an antiherpes screening of medicinal plants, aiming to identify samples with promising activity. Among the 103 samples tested, Calea phyllolepis and Strychnos pseudoquina extracts showed the best results. For practical reasons, we only determined the mechanism of action of S. pseudoquina. Particularly, we investigated the anti-HSV effects of standardized ethyl acetate extract (SEAE), prepared with the stem barks of this plant, along with two isolated compounds obtained by a bioassay-guided fractionation, namely: quercetin 3-O-methyl ether (3MQ) and strychnobiflavone (SBF). The SBF showed the most promising results when compared to those of the SEAE, while 3MQ showed no significant antiviral action at the concentrations and experimental conditions employed here. Then, in order to determine the antiherpes mechanism of action of SEAE and SBF, different methodological strategies were used. It was observed that the mechanism of antiherpes activity of SEAE and SBF against HSV-1 seems to be mediated, partially, by their virucidal action, the inhibition of adsorption, post adsorption and viral penetration, as well as by the reduction of a, ß and Y proteins expression. Concerning the anti-HSV-2 action, it seems to be mediated, also partially, by their prophylactic effect, virucidal action, and the inhibition of adsorption, post adsorption and viral penetration. In summary, the results presented for both viruses, have confirmed that SEAE and SBF mainly affect the early stages of HSV replication cycle.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Florianópolis, 2016
URI: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/167636
Data: 2016


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
339975.pdf 1.294Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar