O Matriciamento nos Serviços de Saúde Mental: aspectos sociopolíticos e técnicos.

DSpace Repository

A- A A+

O Matriciamento nos Serviços de Saúde Mental: aspectos sociopolíticos e técnicos.

Show full item record

Title: O Matriciamento nos Serviços de Saúde Mental: aspectos sociopolíticos e técnicos.
Author: Rosa, Daise da
Abstract: O presente Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem por objetivo descrever e analisar o matriciamento, ou apoio matricial, como dispositivo ou modalidade de organização dos serviços de saúde no âmbito da atenção básica em saúde mental no Brasil. É de caráter monográfico, decorrente de uma revisão do escasso material bibliográfico e documental disponível no país sobre o tema. A perspectiva adotada focaliza a análise de aspectos sociopolíticos do papel do matriciamento no contexto da reforma sanitária e, especialmente, do processo de reforma psiquiátrica que teve início nas últimas duas décadas do século XX. Pretende-se demonstrar que, longe de ser apenas um instrumento de gestão, o matriciamento consiste em uma estratégia de natureza essencialmente política, tanto no que se refere às condições que a originaram como às conseqüências de sua aplicação para a orientação e qualidade dos serviços na área da saúde mental. O principal alvo do matriciamento é constituído pelas equipes multiprofissionais que atuam nos serviços de saúde no contexto da Estratégia Saúde da Família, as quais passam a receber orientações normativas e técnicas de agentes matriciadores, definidos como tais em virtude de possuírem conhecimentos especializados em temas de saúde mental. O presente trabalho tem o propósito de mostrar que as práticas de matriciamento emergiram como resultado de processos de profunda reorganização dos serviços de saúde em geral, e dos serviços de saúde em particular, criando as condições históricas de possibilidade dessa estratégia. Assim, o matriciamento surge como uma estratégia que visa administrar - em um contexto de escassez de recursos humanos especializados – as demandas de atenção à saúde mental através da rede de serviços que se constitui a partir das reformas sanitária e psiquiátrica no âmbito do SUS. Ao longo do trabalho, apresentam-se alguns antecedentes nacionais e internacionais da trajetória histórica dos serviços de saúde mental que podem ter influenciado a emergência do apoio matricial, de forma a compreender suas características, problemas e desafios atuais. Com essa finalidade, discutem-se alguns aspectos da orientação política e técnica das práticas de matriciamento no campo da saúde mental, constatando-se a predominância do olhar biomédico ou psiquiátrico sobre a saúde mental nos conteúdos dos manuais e documentos que contém as orientações para as interações entre “matriciadores” e “matriciandos”. Trata-se de conteúdos que se mostram contraditórios com a perspectiva promovida pela política nacional de saúde, que declara a priorização das dimensões socioculturais da saúde mental. Devido à importância dessas dimensões, o trabalho conclui com algumas considerações acerca do papel do Serviço Social nos processos de matriciamento, principalmente no que diz respeito aos aspectos sociopolíticos e culturais da saúde mental.
Description: TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico. Serviço Social.
URI: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/125111
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View
TCC DAISE SAÚDE MENTAL PDF.pdf 818.2Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar