O Plano Real e a República Rentista

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

O Plano Real e a República Rentista

Mostrar registro completo

Título: O Plano Real e a República Rentista
Autor: Brito, Matheus Bittencourt de
Resumo: A exposição que segue demonstra um dos problemas estruturais sobre os quais a economia brasileira se estabeleceu a partir da execução do último grande plano de estabilização – em virtude do esgotamento modelo de desenvolvimento anterior, pautado na substituição de importações -, a saber, o Plano Real. A partir daí, ver-se-á que o modelo de estabilização referido nunca trouxe o prometido desenvolvimento sustentável, a despeito da sua eficácia no combate à inflação. De tal modo que o Plano Real só pode ser entendido em sua concretude por meio da consciência e análise crítica da realidade brasileira, isto é, pela noção de que o Brasil é um país dependente e subdesenvolvido, inserido numa divisão internacional do trabalho. Assim, o Plano Real pode ser caracterizado com um pacto de classes no qual o setor financeiro tem o papel hegemônico. E é por meio desta hegemonia que originar-se-á o caráter rentista da economia brasileira – ou seja, a República Rentista-, sobre o qual inicia-se o processo de superendividamento estatal e concentração financeira.
Descrição: TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Sócio-Econômico. Economia.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/185037
Data: 2017-12


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
Monografia do Matheus Bittencout de Brito.pdf 1.890Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar