Comportamento viti-enológico da videira (Vitis vinifera L.) de variedades autóctones italianas na região dos Campos de Palmas em Àgua Doce-SC - Brasil

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Comportamento viti-enológico da videira (Vitis vinifera L.) de variedades autóctones italianas na região dos Campos de Palmas em Àgua Doce-SC - Brasil

Mostrar registro completo

Título: Comportamento viti-enológico da videira (Vitis vinifera L.) de variedades autóctones italianas na região dos Campos de Palmas em Àgua Doce-SC - Brasil
Autor: Malinovski, Luciane Isabel
Resumo: A vitivinicultura catarinense vem conquistando forte espaço no cenário nacional, principalmente, nas zonas acima de 900 metros ao nível do mar (regiões consideradas de elevada altitude no Estado de Santa Catarina). Essas localidades caracterizam-se pela recente e moderna produção de uvas e elaboração de vinhos. As condições climáticas destas regiões proporcionam microclima especial para a vitivinicultura deslocando o ciclo fenológico e diferenciando a qualidade da uva produzida. No entanto, o conhecimento peculiar de novas variedades, que apresentem potencialidade para a produção de vinhos de qualidade são estudos indispensáveis e fundamentais. Com este intuito, o presente trabalho de tese teve por objetivo caracterizar o clima e o comportamento vitícola e enológico de variedades autóctones italianas na região dos Campos de Palmas em Água Doce-SC, durante os ciclos fenológicos 2009/10 e 2010/11. A área experimental localizava-se na Vinícola Villaggio Grando, a 1300 metros de altitude ao nível do mar. O vinhedo foi implantado em 2006, com espaçamento 1,5 x 3,0 metros e sistema de condução tipo espaldeira. Foram avaliadas 12 variedades de videira, sendo as tintas: Aglianico, Ancellotta, Lambrusco, Malvasia Nera, Negro Amaro, Nero d'Avola, Primitivo, Sangiovese e Rebo; e as brancas: Fiano, Garganega e Vermentino. Os dados climáticos foram obtidos através de estações meteorológicas da Epagri/CIRAM. Os principais estádios fenológicos estudados foram à brotação, floração, maturação e maturação completa (colheita). A maturação tecnológica das uvas foi monitorada a partir do estádio de mudança de cor das bagas. Na colheita realizaram-se estudos qualitativos e produtivos das uvas. Os vinhos provenientes das variedades com bom desempenho a campo foram microvinificados, e realizada a caracterização fenólica. Para a variedade Sangiovese, realizaram-se estudos ecofisiológicos, onde se desenvolveu uma equação matemática para estimar a área foliar através de método direto e não destrutivo. Ainda com essa variedade, analisou-se a atividade fotossintética de folhas individuais na maturação e na colheita. Os dados climáticos demonstraram que o ciclo 2009/10 apresentou temperaturas médias superiores em relação ao ciclo 2010/11 e as normais climatológicas locais. As condições climáticas da região de estudo evidenciaram boa disponibilidade térmica para o desenvolvimento fenológico das variedades estudadas. No entanto, durante os ciclos avaliados ocorreu o fenômeno do "El Niño", e como consequência, o volume de pluviométrico foi acima das normais climatológicas. As variedades Ancellotta, Sangiovese, Rebo e Vermentino apresentaram nos dois ciclos estudados, uvas de qualidade para vinificação. Os vinhos provenientes das variedades Rebo, Sangiovese e Vermentino apresentaram boas concentrações fenólicas. Para a estimativa da área foliar da variedade de videira Sangiovese, recomenda-se a utilização da soma do comprimento das nervuras laterais. A atividade fotossintética das folhas da variedade Sangiovese foi crescente até o ponto de saturação de radiação, definido de 1000 ?mol fótons m-2s-1. Essa variedade apresentou área foliar e taxas de assimilação de CO2 adequadas, produzindo uvas com boa qualidade enológica. Esses resultados demonstram que durante os ciclos 2009/10 e 2010/11, a região estudada apresenta potencial para produção de uvas destinadas a elaboração de vinhos finos. As variedades Rebo e Sangiovese (tintas) e Vermentino (branca) se destacam pelo potencial produtivo, vitícola e enológico demonstrando boa adaptação à região dos Campos de Palmas em Água Doce - SC, Florianópolis, 2013.ABSTRACT: The viticulture of Santa Catarina has gained considerable attention in the national scenery, mainly in regions at 900 meters above sea level which is considered a high elevation area for Santa Catarina State. These particular regions are characterized for the recent and modern grape production and excellent quality wines. The climatic conditions of the region provide a special microclimate for the viticulture, growing by changing the phenological cycle and highlighting the grape quality. However, it is indispensable and fundamental to recognize and characterize the potentiality of the new varieties to produce high quality wines. The main goal of this thesis was to characterize climate and viticultural and enological behavior of native Italian varieties in the region of Campos de Palmas in Agua Doce, SC, Brazil during 2009/10 and 2010/11 seasons. Field experiments were carried out in a private vineyard Villagio Grando Winery, located 1300 meters above sea level. The vineyard was planted in 2006 with 1.5 x 3.0 meter spacing and trained to a vertical trellis system. Nine red varieties: Aglianico, Ancellotta, Lambrusco, Malvasia Nera, Negro Amaro, Nero d’Avola, Primitivo, Sangiovese and Rebo, and three white varieties: Fiano, Garganega and Vermentino were analyzed. Climatic data were provided by meteorological stations belonging to Epagri/CIRAM. Budburst, blooming, véraison and harvest were the main phenological stages evaluated. Technological maturation of grapes was monitored from the beginning of berry coloring event. At harvest qualitative and productive studies were evaluated. Wine microvinifications and phenolic characterization were done on the best performed and field adapted varieties. Ecophysiological studies were carried out using the variety Sangiovese, and a mathematic equation was developed to estimate leaf area through direct and non-destructive method. Also, photosynthetic activity of individual ‘Sangiovese’ leaves was analyzed during véraison and harvest. The 2009/10 season showed higher mean temperatures whether compared to both 2010/11 season and climate normals. The climatic conditions of Agua Doce, SC evidenced great thermal condition for phenological development of the varieties assessed. However, both seasons were affected by the El Niño phenomenon and, as a result, precipitation was above climate normals. ‘Ancellota’, ‘Sangiovese’, ‘Rebo’ and ‘Vermentino’ varieties provided great quality grapes for vinification in both seasons. Wines derived from the varieties Rebo, Sangiovese and Vermentino varieties showed good phenolic concentrations. The sum of the lengths of lateral veins is recommended in order to estimate ‘Sangiovese’ leaf area. Photosynthetic activity of ‘Sangiovese’ leaves increased up to light saturation point (1000 μmol photons m- 2 s -1 ). This particular variety showed adequate leaf area and CO2 assimilation rates to provide grapes with great enological quality. Considering the results presented during seasons 2009/10 and 2010/11 the region issued shows great potential for the production of fine wine grapes. The red varieties Rebo and Sangiovese and the white Vermentino are considere outstanding varieties with good adaptation to the region Campos de Palmas in Água Doce, SC, Brazil due to their yield, viticoltural and enological potential.
Descrição: Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107585
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
318102.pdf 2.404Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar