Rua Jorge Veiga: para uma escuta de vozes malandras em fonogramas de samba

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Rua Jorge Veiga: para uma escuta de vozes malandras em fonogramas de samba

Mostrar registro completo

Título: Rua Jorge Veiga: para uma escuta de vozes malandras em fonogramas de samba
Autor: Cit, Simone do Rocio
Resumo: Esse trabalho é um estudo sobre a canção popular brasileira, situado nocampo da teoria literária; trata-se de um percurso cujo destino é umareflexão sobre vozes malandras em fonogramas de samba. Sabe-se que naIdade Média, antes do advento da imprensa, a canção possuía um statusde literatura que, na atualidade, está sendo resgatado paulatinamente,com o apoio teórico da Literatura Comparada e dos Estudos Culturais.Procuro demonstrar, no entanto, que entre a canção medieval e a cançãoda contemporaneidade existe uma diferenciação essencial, a questão daspossibilidades técnicas de registro e difusão dos sons, ocorrida a partirda criação do fonógrafo, no final do século XIX. Essa diferençademanda referencial teórico que contemple as características do novoobjeto, potencializando as condições de trabalho proporcionadas pelofonograma. Procuro entender a canção popular brasileira como gênerode discurso, de acordo com o referencial bakhtiniano, localizando os seuspontos de estabilidade e instabilidade, geradas no fluxo das atividadesque o constitui. No âmbito desse gênero, faço emergir o samba malandroe seus intérpretes. Percorro a história da malandragem no Brasil e dopensamento sobre o malandro, no sentido de acumular referencias parauma reflexão sobre o diálogo entre a cultura do malandro e a estéticavocal de quatro cantores malandros emblemáticos. São eles LuizBarbosa, Dilermando Pinheiro, Cyro Monteiro e, com maior ênfase,Jorge Veiga. Antes de proceder a essa reflexão, que será denominadaescuta, procuro esclarecer o leitor sobre esse conceito, baseando-me empressupostos do Círculo de Bakhtin e de Augusto Ponzio. <br>Abstract: This work is a study about the brazilian popular song, situated in thefield of literary theory; it is about a passage whose destiny is a reflectionabout rogue voices on samba phonograms. It is known that in theMiddle Ages, before the arrival of the press, the song had a literarystatus which, currently, is being slowly rescued, with the technicalsupport of the Compared Literature and of the Cultural Studies. I seek todemonstrate, however, that between the medieval song and thecontemporaneity song there is a essential differentiation, the question ofthe technical possibilities of the sounds' register and diffusion, whichocurred after the creation of the phonograph, in the end of the 19thcentury. This difference demands theoric referentials who contemplatesthe characteristics of the new object, potentizing the work conditionsproportionated by the phonogram. I seek to understand the brazilianpopular song as a genre of speech, accordingly with the bakhtinianreferential, locating its stability and instability points, generated in theflow of activities that constitutes it. In the ambit of this genre, i makeemerge the rogue samba and its performers. I run through the history ofroguery in Brazil and of the thoughts about the rogue people, in thesense of accumulate references for a reflection about the dialoguebetween the rogue culture and the vocal esthetics of four emblematicrogue singers. They are Luiz Barbosa, Dilermando Pinheiro, Cyro Monteiroand, with bigger emphasis, Jorge Veiga. Before proceeding to thisreflection, which will be denominated listening, i seek to clear the readerabout this concept, basing it in the Bakhtin's Circle and Augusto Ponzio's pretexts.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-graduação de Literatura, Florianópolis, 2013
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107474
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
319863.pdf 2.131Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar