Revelando as práticas de liderança do enfermeiro no complexo contexto da atenção básica à saúde

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Revelando as práticas de liderança do enfermeiro no complexo contexto da atenção básica à saúde

Mostrar registro completo

Título: Revelando as práticas de liderança do enfermeiro no complexo contexto da atenção básica à saúde
Autor: Lanzoni, Gabriela Marcellino de Melo
Resumo: O presente estudo teve como objetivo compreender o significado da liderança exercida pelos enfermeiros inseridos nos serviços de Atenção Básica à Saúde (ABS) do município de Florianópolis (SC), elaborando um modelo teórico. Utilizou-se o pensamento complexo de Edgar Morin como referencial teórico, cuja perspectiva oportunizou a compreensão do fenômeno de forma reflexiva, contextualizada e dialógica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa com abordagem teórico-descritiva, a qual foi conduzida pela Teoria Fundamentada nos Dados (TFD). O cenário da pesquisa foi a Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis (SC). No que concerne a ABS, o município possui 50 Unidades Básicas de Saúde, distribuídas em cinco Distritos Sanitários. A coleta de dados ocorreu de setembro de 2011 a junho de 2012. A seleção dos participantes foi intencional, por amostragem teórica e apoiada nos seguintes critérios de inclusão: (1) ser enfermeiro da Secretaria Municipal de Saúde por no mínimo dois anos e ter atuado na equipe saúde da família, ou coordenação da unidade básica de saúde ou em cargo administrativo junto ao nível gerencial; (2) ser enfermeiro com expertise nos temas ?Liderança em Enfermagem? e ?Atenção Básica à Saúde? bem como atuar em instituições de ensino superior. O primeiro grupo amostral foi formado por seis enfermeiros de equipe saúde da família. O segundo grupo por sete enfermeiros coordenadores das Unidades Básicas de Saúde. O terceiro grupo por dez enfermeiros gerentes ou diretores do nível central da SMS e, para o quarto grupo, foram selecionados sete enfermeiros com expertise nos temas ?Liderança em Enfermagem? e ?Atenção Básica à Saúde?. No total, trinta enfermeiros foram entrevistados e distribuídos em grupos amostrais. A coleta de dados foi realizada com entrevista individual, semiestruturada, cuja questão inicial foi: fale-me como você compreende e exerce sua de liderança na ABS. O encaminhamento das demais questões foi direcionado pelas pesquisadoras a partir dasrespostas dos participantes. As entrevistas foram áudio-gravadas e posteriormente transcritas na íntegra. A análise dos dados ocorreu de forma concomitante com a coleta dos dados, por codificação aberta, axial e seletiva. O fenômeno Revelando as práticas de liderança do enfermeiro no complexo contexto da Atenção Básica à Saúde, fundamentado na integração de nove categorias e vinte e uma subcategorias, foi distribuído em componentes do modelo paradigmático. A liderança exercida pelo enfermeiro ocorre no complexo contexto da Atenção Básica à Saúde, de acordo com a necessidade de profissionais qualificados e contradições evidenciadas pela rede de relações e interações da gestão pública em saúde. A Atenção Básica à Saúde é considerada complexa, pois articula de forma ativa as múltiplas necessidades dos usuários. Interconecta e também coordena os programas de saúde e os diversos níveis de atenção a partir do trabalho multiprofissional bem como suas fragmentações, descontinuidades e relações político-partidárias. O movimento desses elementos intimamente interligados oportuniza a auto-organização, incentivada pela liderança dos enfermeiros. Dentre as causas identificadas para a liderança do enfermeiro, foi evidenciado um conjunto de elementos vinculados à personalidade, ao estímulo da formação e do espaço universitário, às características próprias da profissão, evidenciadas pelo trabalho em equipe e à influência do ambiente. Foram apontados como elementos intervenientes com repercussão positiva a experiência profissional prévia, a vivência na comunidade e a confiança estabelecida entre os profissionais e usuários. As limitações nas condições de trabalho, a formação profissional para atuação na ABS e o emprego da supervisão tradicional foram os elementos negativamente relacionados ao exercício de liderança do enfermeiro. Como estratégias utilizadas, os enfermeiros buscam o apoio do gestor e, a partir do planejamento, organizam ações de forma conjunta com a equipe, para oportunizar e estimular a participação dos demais profissionais. Recorrem ao diálogo como instrumento que confere dinamicidade às interrelações entre o enfermeiro, equipe e comunidade, a fim de lidar com os conflitos. O aperfeiçoamento das aptições individuais foi potencializado com a formação complementar, tanto por pós-graduação latu senso quanto stricto senso. A forma como o enfermeiro se insere na equipe e permite a auto-organização do grupo, a partir do movimento conflito-mediação-nova ação, direciona o grupo a alcançar as metas estabelecidas e a satisfação no trabalho. Verifica-se como consequência o estímulo da liderança em contraposição ao individualismo, como um caminho para ampliação da autonomia e davisibilidade para profissão. Estimular a liderança nos demais membros da equipe de saúde apresenta-se como uma característica do enfermeiro, que está intensamente relacionada com as políticas de saúde, pois contribuem para incentivar a atuação participativa e integrada dos trabalhadores. Vislumbra-se uma organização de enfermeiros sensíveis com as causas profissionais e com as questões da ABS para a realização de cursos, capacitações e associações com foco no desenvolvimento de lideranças desde os estudantes de graduação até os profissionais já inseridos no campo de trabalho. Aponta-se que tanto a compreensão das responsabilidades pelos enfermeiros, enquanto profissionais da saúde atuantes em um contexto complexo, como a luta pela continuidade das ações em saúde e das equipes de trabalho são atitudes que tendem a superar as dificuldades apresentadas na ABS. Indica-se como necessidade o resgate da atuação do enfermeiro da ABS como cuidador, visando à manutenção de suas contribuições na equipe de saúde para fortelecer a complementariedade do binômio líder-cuidador, os quais, neste estudo, são elementos interdependentes. Por fim, defende-se que as relações/interações/associações estabelecidas pelo enfermeiro no exercício da liderança são recursos no processo de cuidar do ser humano, de gerenciar pessoas e busca orientar o aprimoramento de competências nos demais profissionais, a fim de desenvolver, com uma equipe de líderes, a organização do trabalho em saúde no complexo contexto da Atenção Básica. <br>Abstract : The present study aimed to understand the meaning of leadership exercised by nurses entered in the services of Primary Health Care (PHC) in Florianópolis (SC), elaborating a theoretical philosophical reference. We used Edgar Morin's complex thought as a theoretical reference, whose perspective provides an opportunity to understand this phenomenon in a reflexive, contextual and dialogical way. This is a qualitative research with theoretical-descriptive approach, which was conducted by Grounded Theory (GT). The scenario chosen for the research was the Municipal Health Service (SMS) in Florianópolis (SC). Regarding the ABS, the county has 50 UBS, distributed in five health districts. Data collection occurred from September 2011 to June 2012. The selection of participants was intentional, supported by theoretical sampling and the following inclusion criteria: (1) being a nurse of the SMS for at least two years and have already worked in the family health team, or coordinating the local health unit or administrative position along managerial level, (2) being a nurse with expertise in the topics "nursing leadership" and "ABS", as well as working in higher education institutions. The first group was formed by six nurses in family health team, the second group by seven nurses' coordinators of Local Health Units, the third group by 10 nurse managers or directors of the central level of the SMS and for the fourth group were selected 7 nurses with expertise in the topics "nursing leadership" and "Primary Health Care". In total, 30 nurses were interviewed, divided into groups as shown in Table 3. Data collection was performed with individual, semi-structured interviews, using as initial question: Tell me how do you understand and exercise your leadership in ABS? The dispatching of the following questions was directed by the researchers from the responses of the participants. The interviews were audio-recorded and transcribed in their entirety. Data analysis occurred concurrently with the data collect through open, axial and selective coding. The phenomenon Revealing leadership practices of nurses in the complex context of ABS, based on the integration of 9 categories and 21 subcategories, distributed components paradigmatic model. The leadership provided by the nurse takes the complex context of ABS, its call for skilled workers andcontradictions highlighted by the network of relationships and interactions in public health management. The ABS is considered complex because it actively articulates the needs of multiple users, interconnects and coordinates health programs and the various levels of care through multi professional work and their fragmentations, discontinuities and party-political relations. The movement of these elements intimately interconnected gives opportunity to self-organization, also encouraged by the leadership of nurses. Among the causes identified for nursing leadership was shown a set of elements linked to personality, training stimulus and the university space, characteristics of the profession, evidenced through teamwork, as well as influence of the environment were identified as intervening elements with positive impact. The elements negatively related to the exercise of nursing leadership were limitations in working conditions, training for work in the ABS, and the use of traditional supervision. As strategies used, nurses seek the support of the manager and, through planning, organize actions jointly with the team, and providing opportunities encouraging the participation of other professionals. They use the dialogue as a tool that gives dynamism to the interrelationships between nurse, staff and community, aiming dealing with conflict. The improvement of individual aptitudes was boosted with additional training through both lato sensu and stricto senso post graduation. It was evident that the way the nurse inserts the team and allows self-organization in the group, through movement conflict-mediation-new action, directs the group to achieve the goals and job satisfaction. The stimulus of leadership appears as consequence, opposing the individualism, as a way to increase the autonomy and visibility of the profession. Encouraging leadership in other members of the health team presents itself as a characteristic of the nurse, who is intensely related to health policy and contribute to encourage the participative and integrate performance of workers. It is expected an organization of nurses sensitive to the professional causes and issues of ABS for conducting courses, trainings and associations, focusing on leadership development from graduate students to professionals already in the field. It is pointed out that the understanding of the responsibilities by nurses, as health professionals working in a complex context, as also the struggle for continuity of health actions and work teams are attitudes that tend to overcome the difficulties presented in ABS. It is indicated as a need to rescue the ABS nurse's role as caregiver in order to keep their investment in the health team and strengthening the complementarity of the binomial leader-caregiver, which for this study are interdependentelements. Finally, it is argued that the relationships/interactions/associations established by the nurse to exercise leadership is a resource to care for the human being, to manage people/teams and guide the enhancement of skills in other professional workers, seeking to work with a team of leaders, the organization of health work inserted in the complex context of Primary Care in Health.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107417
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
321635.pdf 2.200Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar