Teste do nado forçado repetido: avaliação dos efeitos da imipramina sobre o comportamento e a neurogênese hipocampal dos ratos alojados em ambiente enriquecido

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Teste do nado forçado repetido: avaliação dos efeitos da imipramina sobre o comportamento e a neurogênese hipocampal dos ratos alojados em ambiente enriquecido

Mostrar registro completo

Título: Teste do nado forçado repetido: avaliação dos efeitos da imipramina sobre o comportamento e a neurogênese hipocampal dos ratos alojados em ambiente enriquecido
Autor: Possamai, Fernanda
Resumo: O enriquecimento ambiental e o tratamento com fármacos antidepressivos são capazes de provocar efeitos comportamentais em ratos e camundongos expostos ao teste do nado forçado (TNF), bem como alterações na morfologia do sistema nervoso central. Objetivos: nosso objetivo foi avaliar os efeitos do tratamento crônico com imipramina, associado ao enriquecimento ambiental, sobre o comportamento no TNF-repetido e sobre a proliferação celular no giro denteado do hipocampo de ratos adultos. Metodologia: ratos machos Wistar (n=80) foram alojados por 40 dias, desde o 21° dia pós-natal, em ambiente padrão (AP) ou em ambiente enriquecido (AE). Após este período foram submetidos ao pré-teste (15min). No dia seguinte, os animais de cada ambiente foram subdivididos em quatro grupos e, 1 hora antes do Teste, receberam injeção intraperitoneal de: salina (SAL); imipramina (IMI 2,5 mg/kg ou 5mg/kg) ou fluoxetina (FLX 2,5 mg/kg). A partir do dia seguinte ao teste, foram administradas uma injeção diária destas substâncias nos animais dos respectivos grupos até o dia reteste 2. Teste e retestes foram filmados para posterior avaliação da latência, frequência e duração dos comportamentos. Após o reteste 2, os ratos foram sacrificados e foi realizada a imunoistoquímica para a detecção da proteína Ki-67 e doublecortina (DCX) no giro denteado (GD) do hipocampo. Resultados: O enriquecimento ambiental não afetou o comportamento durante o pré-teste, entretanto, ele foi capaz de reverter os efeitos da reexposição sobre a imobilidade. A dose de 5 mg/kg de imipramina e de 2,5 mg/kg de fluoxetina diminuiram o tempo e a frequencia da de imobilidade ("desespero comportamental") após 14 dias de tratamento dos animais alojados em ambiente padrão. Estes tratamentos não afetaram as contagens de Ki-67 e DCX no GD. Os efeitos da imipramina na dose de 5 mg/kg se potencializaram com o AE enquanto que a fluoxetina mostrou-se eficaz independente do tipo de alojamento. Estes tratamentos diminuíram as contagens de Ki-67 no GD. O tratamento com as duas doses de imipramina aumentaram as contagens de DCX no GD. Não houve nenhuma correlação entre as contagens de ki-67 ou de DCX com os comportamentos no TNF-repetido. Conclusão: Tanto o enriquecimento ambiental como a imipramina, em doses subefetivas no TNF, inibiram o desespero comportamental no TNF-repetido. Estes efeitos parecem não depender do aumento da neurogenese hipocampal, <br>
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Ciências Fisiológicas, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107269
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
318324.pdf 10.74Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar