Identidade e abjeção: os profissionais frente às ambiguidades da reforma psiquiátrica

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Identidade e abjeção: os profissionais frente às ambiguidades da reforma psiquiátrica

Mostrar registro completo

Título: Identidade e abjeção: os profissionais frente às ambiguidades da reforma psiquiátrica
Autor: Gastal, Cláudio Luis da Cunha
Resumo: Nesta tese nos propomos a analisar a problemática da identidade no contexto da modernidade, no âmbito dos discursos e das práticas dos profissionais que trabalham no processo institucional da reforma psiquiátrica brasileira, notadamente nos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS). Foi realizada uma correlação entre identidade e o conceito de abjeção de Julia Kristeva, considerando a perspectiva de Kristeva de semiótico e simbólico e a análise que a autora realiza de que na modernidade atual ocorre uma primazia do simbólico em relação ao semiótico ? o que leva a um rompimento, ao menos parcial, da relação sincrônica entre estas duas instâncias. Assim, sua noção de sujeito-em-processo, que articula uma perene relação dialética entre semiótico e simbólico, fica obliterada, levando a uma vivência do semiótico como ameaçador e disruptivo, que desafia tendências identitárias hegemônicas e diacrônicas. Sendo a loucura a presença sem limites deste semiótico, ela também ameaça as identidades dos agentes profissionais, levando a um reforço dos processos identificatórios predominantemente simbólicos, o que implica em uma conformação pessoal e institucional que tende a rechaçar a alteridade deste semiótico, levando a práticas normalizadoras em relação à loucura, negando ao louco uma positividade discursiva e a uma atuação institucional de sujeição dos mesmos. Através de uma ampla revisão da literatura sobre os CAPS, selecionamos um corpus de análise com critérios de inclusão e exclusão previamente estabelecidos foi selecionado um conjunto de teses, dissertações e artigos nos quais estivessem presentes de modo eloquente a discursividade dos profissionais a respeito de sua subjetividade dentro de tais instituições. A partir daí tornou-se possível observar a presença da questão da abjeção dentro de quatro áreas: a) os profissionais frente ao poder público; b) os profissionais e o usuário enquanto um ser ambíguo; c) o profissional e o imaginário acerca da loucura e d) o profissional e o território. Em todas as áreas a abjeção mostrou-se presente e constituindo-se em um reforço a atitudes normalizadoras ou de afastamento dos profissionais em relação ao território e aos usuários em termos do estabelecimento de relações de poder-saber dos profissionais quanto aos usuários, abrindo a possibilidade de que os novos serviços possam aproximar-se dos antigos aparatos manicomiais. <br>Abstract : This thesis have the purpose of analyzing the issue of identity in the context of modernity, within the scope of the discourses and practices of the professionals working in the institutional process of the psychiatric reform in Brazil, especially in the Centers of Psychosocial Attention (CAPS). In this is make a correlation between identity and Julia Kristeva?s concept of abjection, based on Kristeva?s perspective about semiotic and symbolic and her analysis in terms that there is a primacy of the symbolic over the semiotic in the contemporary world ? leading to a rupture of the synchronous relationship between these two instances. Thus, her notion of subject-in-process, which articulates a perennial dialectical relationship between semiotic and symbolic, is obliterated, guiding to an experience of the semiotic as threatening and disruptive, challenging hegemonic and diachronic identity trends settled over common sense. Being the craziness the presence without limits of this semiotic, it also threatens the identities of professional agents, leading to a strengthening of predominantly symbolic identification processes. This implies a personal and institutional conformation that tends to reject the pure otherness of this semiotic, leading to normalizing practices in relation to madness ? denying to the crazy a discursive positivity ?, and to an institutional practice of subjecting its mad, even when it appears as enabler of social presence and of the inclusion of madness in society. Through an ample literature review on CAPS covering the major databases, based on inclusion and exclusion criteria established beforehand, it was selected a corpus analysis including theses, dissertations and articles in which it was present an eloquent discourse of professionals about their subjectivity within such institutions. From that, it became possible to observe the presence of the issue of abjection in four areas: a) the professionals and the public power, b) the professionals and the user while an ambiguous being, c) the professionals and the imagery of madness and d) the professionals and the territory. In all these areas abjection showed to be present and to constitute a reinforcement of the normalizing attitudes or of a separation of the professionals in relation to the territory and to the users in terms of the establishment of power-knowledge relations from professionals to the users, opening the possibility that the new care services can be approximated to the old asylum apparatuses.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Interdisciplinar em Ciências Humanas, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107103
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
321217.pdf 1.743Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar