A estrutura e a dinâmica de famílias de crianças vítimas de violência

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

A estrutura e a dinâmica de famílias de crianças vítimas de violência

Mostrar registro completo

Título: A estrutura e a dinâmica de famílias de crianças vítimas de violência
Autor: Marchetto, Michelle Vitório
Resumo: O presente estudo visou caracterizar a estrutura e a dinâmica das famílias com crianças de 2 a 10 anos, vítimas de violência, que possuem medida de proteção imposta pelo Conselho Tutelar. A pesquisa se caracterizou por ser exploratória e descritiva, de corte transversal e abordagem quanti-qualitativa. A amostra foi composta por 14 genitores e responsáveis de 8 famílias que possuem crianças vítimas de violência e inseridas no PAEFI do CREAS de uma cidade do estado de Santa Catarina. A coleta de dados foi realizada através da técnica de entrevista semi-estruturada, e dos instrumentos: questionário sócio-demográfico, genograma, questionário sobre o funcionamento familiar (FACES IV); índice de estresse parental (PSI); Inventário de Práticas Educativas Parentais (CRPR); e um questionário que avalia a relação entre pais e filhos na resolução de conflitos (CTSPC). As entrevistas foram transcritas na íntegra e analisadas conforme a técnica de análise de conteúdo categorial temática. Os Genogramas foram analisados com vistas a identificar os padrões relacionais e ciclos intergeracionais de violência. As respostas aos instrumentos foram codificadas com o auxílio do programa estatístico SPSS-17.0. Cinco das oito famílias estudadas eram recasadas. Nas famílias estudadas pode-se constatar todos os tipos de violência. Os agentes violadores eram pessoas próximas e de confiança das crianças. Outras pessoas que possuem relacionamento estreito com a criança foram os denunciantes. As famílias das crianças pertenciam a diferentes classes sociais, caracterizando a violência como um fenômeno sistêmico, inerente às relações sociais e familiares. Nas famílias extensas, pode-se observar a presença de relacionamentos conflituosos, distantes e rompimentos. Contudo, há a presença de relacionamentos harmônicos que são considerados como fatores de proteção e principal fonte de apoio. Os relacionamentos conjugais foram considerados conflituosos, com ou sem episódios de violência física, porém sempre com a presença da violência psicológica. A maioria das famílias possui um funcionamento considerado equilibrado, e apenas uma apresentou funcionamento considerado Rígido/Coeso. Constatou-se a presença de práticas educativas coercitivas e não coercitivas. As práticas educativas violentas apareceram em três gerações e estas podem constatar nos resultados do CTSPC. Isolamento social, pequena diversidade de locais frequentados e escassez de uma rede social familiar foram características das famílias. O PSI ? Índice de Estresse Parental classificou o estresse parental dosgenitores dentro do normal e o CRPR, constatou coexistência dos Estilos Parentais Autoritários e Autoritativos. Reitera-se a necessidade de se pensar em ações preventivas e no atendimento a essas famílias com crianças vítimas de violência com o intuito de diminuir os fatores de risco e potencializar os fatores de proteção. <br>Abstract : The present study aimed to characterize the structure and dynamics of families with children 2-10 years old, victims of violence, which have protective measure imposed by the Guardian Council. The research was characterized as exploratory and descriptive, cross-sectional and quantitative and qualitative approach. The sample consisted of 14 parents and guardians of 8 families who have children who are victims of violence and inserted in the PAEFI/CREAS a city in the state of Santa Catarina. Data collection was performed using the technique of semi-structured interview, and instruments: socio-demographic questionnaire, genogram, questionnaire on family functioning (FACES IV); parenting stress index (PSI); Parental Educational Practices Inventory (CRPR), and a questionnaire that assesses the relationship between parents and children in conflict resolution (CTSPC). The interviews were transcribed and analyzed according to the technique of content analysis categories and themes. The Genograms were analyzed in order to identify the relational patterns and intergenerational cycles of violence. The responses were coded instruments with the help of SPSS-17.0. Five of the eight families studied were remarried. In the families studied, it can be seen all kinds of violence. Agents violators were people coming and confidence of children. Other people who have close relationship with the child were the complainants. Families of children belonging to different social classes, characterizing the violence as a systemic phenomenon, inherent in social and family relationships. In extended families, one can observe the presence of conflicting relationships, distant and breakups. However, there is the presence of harmonic relationships that are considered protective factors and primary source of support. The marital relationships were considered conflicting with or without episodes of physical violence, but always with the presence of psychological violence. Most families have a functioning considered balanced, and only one had considered running Disk / Cohesive. Found the presence of educational coercive and non coercive. Educational practices violent appeared in three generations and they can observe the results of CTSPC. Social isolation, diversity of small places frequented, and scarcity of a social network characteristics were family households. The PSI - Parental Stress Index rated parental stress in parents of normal and CRPR, found coexistence of Authoritarian and Authoritative Parenting Styles. Reiterates the need to think about preventive and care to thosefamilies with children who are victims of violence in order to reduce risk factors and enhance protective factors.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107023
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
320918.pdf 2.636Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar