Validação do teste progressivo específico para taekwondo

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Validação do teste progressivo específico para taekwondo

Mostrar registro completo

Título: Validação do teste progressivo específico para taekwondo
Autor: Sant'Ana, Jader
Resumo: Verificar a validade de um protocolo, cujo objetivo é a avaliação fisiológica e obtenção de marcadores específicos, é considerado pré-requisito para obtenção de medidas precisas e que possam ser utilizadas na prescrição e controle do treinamento do atleta. Recentemente, foi apresentado na literatura o Teste Progressivo Específico para Praticantes de Taekwondo (TET). O TET emprega o chute Bandal Tchagui, principal gesto motor utilizado em competições pelo atleta de Taekwondo. A partir do TET é possível avaliar os indicadores de capacidade e potência aeróbia em atletas de Taekwondo. Porém, não foi constatada a reprodutibilidade e a validade concorrente do TET, de forma que, este possa ser utilizado por pesquisadores e profissionais da área esportiva na avaliação específica de atletas desta modalidade. Sendo assim, o objetivo do presente estudo é investigar a validade do TET como um método para avaliação aeróbia específica em atletas de Taekwondo. Atletas de Taekwondo que se voluntariam para o presente estudo foram divididos em dois grupos: grupo que realizou um teste de reprodutibilidade (G1), composto por 12 atletas e o grupo que realizou um teste de validade concorrente (G2), composto por 18 atletas. Para participar da pesquisa os atletas deveriam ter idade mínima de 18 anos e pelo menos 3,5 anos de experiência com a prática do Taekwondo. Todos os sujeitos do estudo eram do sexo masculino. Em ambos os protocolos os atletas realizaram as avaliações respeitando intervalo de aproximadamente 48 horas entre os testes. O G1 foi submetido a dois testes (teste e reteste). As seguintes variáveis foram analisadas: frequência cardíaca máxima (FCMAX), ponto de deflexão da frequência cardíaca (PDFC), frequência de chute máxima (FCHMAX), frequência de chute de PDFC (FCHPDFC) e o lactato máximo pós-teste (LacMAX). O G2 realizou um TET e um teste incremental em esteira (TI). Durante o TET as mesmas variáveis analisadas no G1, além do VO2max, quociente respiratório (R) e o consumo de oxigênio de PDFC (VO2PDFC) foram mensurados. Durante o TI além da FCMAX, PDFC, R e LacMAX, foram avaliadas também a velocidade máxima (VMAX) e a velocidade de PDFC identificada pelo método DMAX (VDMAX). Para apresentação dos dados foi utilizada estatística descritiva, sendo a normalidade dos mesmos, verificada mediante o teste de Shapiro-Wilk. A correlação linear de Pearson foi aplicada para relacionar as variáveis obtidas no TET e no TI. A relação entre os dois testes para as diferentes intensidade foi verificada por meio da análise de variância two-way (ANOVA) com o coeficiente de correlação intraclasse (CCI) sendo estabelecido para verificar fidedignidade do teste para o reteste e em relação às variáveis do TET e TI. A análise de Bland-Altman foi utilizada para testar a concordância entre os métodos. Para verificar se há diferença entre os valores médios no G1, entre teste e reteste, e no G2, entre o TET e TI, foi utilizado o teste t para amostras dependentes e foi estabelecida a magnitude das diferenças a partir do effect size (g). Foi adotado nível de significância p<0,05. Os resultados do protocolo de reprodutibilidade demonstraram que a FCMAX e o PDFC não diferiram estatisticamente entre o teste e reteste. Também não foram observadas diferenças significativas (p<0,05) para a FCHPDFC e FCHMAX entre teste e reteste. O effect size para estas variáveis foram classificas da seguinte forma: FCMAX e PDFC como trivial (g<0,1); FCHMAX e FCHPDFC como trivial/baixo (g entre 0,1 e 0,3); e LacMAX como baixo/moderado (g entre 0,5 e 0,7). O CCI demonstra que o teste e reteste apresentam correlação muito forte para as variáveis FCHMAX (0,97), FCHPDFC (0,97), FCMAX (0,97) e PDFC (0,92) e moderada correlação para a LacMAX (0,62). Os resultados do G2 demonstram que as médias das variáveis VO2max (49,16 ± 5,26 ml·kg-1·min-1 e 50,49 ± 4,42 ml·kg-1·min-1), VO2PDFC (43,64 ± 5,55 ml·kg·min-1 e 42,85 ± 4,69 ml·kg-1·min-1) e PDFC (172 ± 8 bpm e 169 ± 8 bpm) não apresentaram diferença significativa (p<0,05) quando comparados os valores de TET e TI, respectivamente. A FCMAX (190 ± 8 bpm e 192 ± 10bpm), o R (1,12 ± 0,06 e 1,19 ± 0,11) e a LacMAX (8,91 ± 1,70 mmol·L-1 e 11,10 ± 2,34 mmol·L-1) foram diferentes (p<0,05) entre TET e TI, respectivamente. Ao verificar a magnitude das diferenças obtidas entre TET e TI as variáveis foram classificas da seguinte forma: VO2max e LacMAX como trivial/baixo (g entre 0,1 e 0,3); PDFC e VO2PDFC como baixo (g entre 0,3 e 0,5); R como baixo/moderado (g entre 0,5 e 0,7); e FCMAX como moderado (g entre 0,7 e 1,1). O CCI demonstra que todas as variáveis obtidas no TET e TI apresentam correlação forte. Sendo assim, o TET mostra-se como uma metodologia reprodutível e válida para avaliação aeróbia específica de atletas de Taekwondo <BR>Abstract: Check the validity of a protocol, which aims to physiological assessment and obtaining specific markers is considered a prerequisite when it aims to obtain accurate measurements and can actually be used in prescribing and control of the athlete's training. Recently it has been shown in the literature Specific Test Progressive for Taekwondo (STT), a test that uses motion characteristic (kick Bandal Tchagui) required by Taekwondo competition and aims to present indicators of aerobic capacity and power in athletes Taekwondo. However, we no found reproducibility and concurrent validity of the STT, so that it can be used by researchers and practitioners in sport specific evaluation of athletes of this sport. The objective of this research is to investigate the validity of the STT as a method for assessing aerobic specific Taekwondo athletes. Taekwondo athletes who volunteer for this study were divided into two groups: one group that conducted a test of reproducibility (G1), composed of 12 athletes and the group that conducted a test of concurrent validity (G2), composed of 18 athletes. To participate in the survey athletes should have minimum age of 18 years and at least 3.5 years of experience with the practice of Taekwondo. All study subjects were male. In both protocols the athletes performed with respect range of evaluations approximately 48 hours between tests. The G1 was tested twice (test-retest). The following variables were analyzed: maximum heart rate (HRMAX), heart rate deflection point (HRDP), frequency kick maximum (FKMAX), frequency kick HRDP (FKHRDP) and the maximum lactate posttest (LacMAX). The G2 conducted a STT and incremental treadmill test (IT). During STT the same variables in G1were obtained, beyond VO2max, respiratory quotient (R) and oxygen consumption of HRDP (VO2DPHR) were measured. During the IT beyond FCMAX, HRDP, R e LacMAX were also evaluated the maximum speed (VMAX) and speed of HRDP identified by the method DMAX (VDMAX). For presentation of the data was used descriptive statistics, normality was verified by the Shapiro-Wilk test. A linear correlation was applied for variables obtained in TET and IT. The relationship between the two tests for the different intensity was verified by the analysis of two-way variance (ANOVA) with the intraclass correlation coefficient (ICC) was established to verify the reliability test to retest and the variables of the STT and IT. The Bland-Altman analysis was used to test the agreement between the methods. To check for differences between the mean values in G1 between test and retest, and G2, between STT and IT, t test was used for dependent samples was established and the magnitude of the differences from the effect size (g) .The significance level was p <0.05. The results of protocol reproducibility demonstrated that FCMAX e o HRDP did not differ statistically between test and retest. There were also no significant differences (p <0.05) for FKHRDP and FKMAX between test and retest. The effect size rating for these variables were as follows: FCMAX e HRDP as trivial (g<0.1); ); FKMAX e FKHRDP as trivial/small (g between 0.1 and 0.3) and LacMAX as small/moderate (g between 0.5 and 0.7). The ICC shows that test and retest have very strong correlation for variables FKMAX (0,97), FKHRDP (0,97), FCMAX (0,97) e HRDP (0,92) and a moderate correlation for LacMAX (0,62). The results show that the G2 variables VO2max (49,16 ± 5,26 ml·kg-1·min-1 and 50.49 ± 4.42 ml·kg-1 ·min-1), 50,49 ± 4,42 ml·kg-1·min-1), VO2PDFC (43,64 ± 5,55 ml·kg·min-1 and 42,85 ± 4,69 ml·kg-1·min-1) and HRDP (172 ± 8 bpm e 169 ± 8bpm) showed no significant difference (p<0.05)when comparing the values of STT and IT respectively. FCMAX (190 ± 8 bpm and 192 ± 10bpm), the R (1,12 ± 0,06 e 1,19 ± 0,11) and the LacMAX (8,91 ± 1,70 mmol·l-1 and 11,10 ± 2,34 mmol·l-1) were different (p <0.05) between STT and IT. When checking the magnitude of the differences obtained between STT and IT ranks variables were follows: VO2max, LacMAX as trivial/small (d between 0.1 and 0.3); HRDP and VO2HRDP as small (d between 0.3 and 0.5), R as small/moderate (d between 0.5 and 0.7) and FCMAX as moderate (d between 0.7 and 1.1). The ICC shows that all variables obtained in STT and IT show strong correlation. The STT shows up as a valid and reproducible methodology for evaluation specific aerobic of Taekwondo athletes.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos, Programa de Pós-graduação em Educação Física, Florianópolis, 2013
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107001
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
319580.pdf 1.533Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar