Cocristais farmacêuticos de furosemida: obtenção, caracterização e estudos de estabilidade

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Cocristais farmacêuticos de furosemida: obtenção, caracterização e estudos de estabilidade

Mostrar registro completo

Título: Cocristais farmacêuticos de furosemida: obtenção, caracterização e estudos de estabilidade
Autor: Rauber, Gabriela Schneider
Resumo: A Furosemida é um potente diurético de alça indicado para o tratamento de edema associado à insuficiência cardíaca. Ela compreende um fármaco-modelo para aplicação em sistemas tecnológicos que aprimorem suas características de labilidade química e baixa solubilidade. Dentre as ferramentas utilizadas no melhoramento de sistemas farmacêuticos, as técnicas de modelagem cristalina vem ganhando destaque pelo impacto que exercem sobre as características biofarmacêuticas de um produto. Neste contexto, o presente trabalho objetivou realizar o screening de formas cocristalinas de furosemida e determinar suas propriedades fisicoquímicas em comparação com o fármaco puro. O desenvolvimento e a validação de metodologias analíticas para determinação de furosemida em estudos de estabilidade e dissolução foram realizados tendo por base a cromatografia líquida de alta eficiência. Os ensaios de design supramolecular foram iniciados por estudos de cristalização da furosemida pura em solução e resultaram em materiais cristalinos puros e misturas de fases. Dependendo do método de cristalização escolhido, os sistemas demonstraram partículas marcantemente diferentes para amostras descritas como isomórficas e que apresentaram desempenho variável frente os ensaios de dissolução. Já as tentativas de cocristalização da furosemida empregaram a moagem como ferramenta principal. O processamento de furosemida com outros compostos em moinho de bolas a seco e com solventes resultou basicamente na obtenção de três situações diferentes: sistemas amorfos, sistemas cristalinos compreendendo novas modificações sólidas e sistemas cristalinos compreendendo os insumos de partida segregados. Observou-se que a presença de fase amorfa levou à formação de cocristais sob condições em que a mobilidade e a energia das moléculas encontraram-se aumentadas e havia complementaridade entre os insumos. Destacam-se os exemplos dos sistemas cocristalinos furosemida:cafeína e furosemida:nicotinamida, para os quais foram obtidas uma e cinco modificações cristalinas inéditas, respectivamente. Evidenciou-se experimentalmente que a utilização de técnicas de mecanossíntese e cristalização são efetivas no que se refere ao screening e à análise de novas formas sólidas em insumos farmacêuticos ativos. Estas são importantes ferramentas de desenho e controle de qualidade de fármacos e podem influenciar no desempenho dos mesmos e na sua produção, <br>
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Florianópolis, 2013
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106946
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
318328.pdf 15.78Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar