Os conceitos de comportamento operante e de contingência de reforçamento como bases e orientação da intervenção profissional do psicólogo: da caracterização de necessidades sociais à avaliação da intervenção

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Os conceitos de comportamento operante e de contingência de reforçamento como bases e orientação da intervenção profissional do psicólogo: da caracterização de necessidades sociais à avaliação da intervenção

Mostrar registro completo

Título: Os conceitos de comportamento operante e de contingência de reforçamento como bases e orientação da intervenção profissional do psicólogo: da caracterização de necessidades sociais à avaliação da intervenção
Autor: Souza, Eduardo José de
Resumo: O "modelo" psicoterápico de intervenção e procedimentos coerentes com a concepção de fenômeno psicológico como entidade interna, assim como o "modelo" médico de atuação parecem ser aspectos que comumente orientam a atuação de psicólogos. O controle exclusivo ou intenso que tais aspectos podem exercer nas condutas profissionais do psicólogo aumenta a probabilidade de que: a intervenção seja restrita quanto sua amplitude, limitada quanto à percepção de fenômenos passíveis de intervenção, com ênfase em fenômenos considerados patológicos, restrita quanto aos âmbitos de atuação e locais de trabalho e com ênfase na intervenção sobre problemas já existentes e tratados em instituições específicas para esse fim. Considerando essas decorrências é relevante produzir conhecimento acerca de outros aspectos que poderiam orientar a atuação profissional do psicólogo. Há contribuições da Análise do Comportamento que enfatizam o fenômeno psicológico como sendo correspondente às interações que os organismos estabelecem com aspectos do ambiente por meio de suas atividades, especificamente os conceitos de comportamento e de contingências de reforçamento são utilizados para caracterizar esse tipo de interação. Para verificar como tais conceitos orientam a atuação do psicólogo, foram realizados dois processos de obtenção de dados. O primeiro consistiu em definir as etapas de intervenção do psicólogo a serem examinadas. O segundo consistiu em executar e registrar o produto de cada etapa para posterior exame. Em relação as etapas foi possível explicitar os conceitos de comportamento e de contingências de reforçamento como orientadores da intervenção. Nas etapas iniciais tais conceitos constituíram referenciais para caracterizar processos comportamentais apresentados pelos indivíduos. A partir de suas características foi possível derivar a classe de comportamentos "desenvolver comportamentos relativos à autocuidado e higiene pessoal dos abrigados" como objetivo de intervenção. Posteriormente os conceitos examinados fundamentaram procedimentos para aumentar a visibilidade acerca do comportamento a ser desenvolvido pelo psicólogo. O procedimento de decomposição explicitou 58 comportamentos intermediários mais simples. O procedimento de análise funcional de tais comportamentos possibilitou explicitar suas variáveis nucleares, o que auxiliou o planejamento de condições de desenvolvimento desses comportamentos. A partir disso a intervenção foi realizada e os resultados obtidos indicam o desenvolvimento da classe de comportamentos proposta como objetivo, com destaque para o aumento na frequência com que os cuidadores apresentavam comportamentos de auxiliar os abrigados. Como decorrência houve um aumento no grau de autonomia dos abrigados para apresentar os comportamentos de alimentar-se com a colher e banhar-se. O conjunto de dados indica que os conceitos de comportamento e de contingência de reforçamento podem constituir base e orientação da atuação do psicólogo.<br>Abstract : The psychotherapeutic "model" of intervention and procedures consistent with the conception of psychological phenomenon as internal entity and the physician "model" are aspects that guide commonly practicing psychologists. The exclusive control or intense that such aspects may play in professional behavior of psychologists increases the probability that: the intervention is restricted as its amplitude, limited regarding the perception of phenomena subject to intervention, with emphasis on phenomena considered pathological, as restricted to areas of work and workplaces with an emphasis on intervention in existing problems and treated in specific institutions for this purpose. Considering these consequences is relevant to produce knowledge about other aspects that could guide the professional practice of psychologists. There are contributions of Behavior Analysis that emphasize the psychological phenomenon as corresponding to interactions that organisms have with the environment through their activities, specifically the concepts of behavior and contingency of reinforcement have been used to characterize this type of interaction. To see how such concepts have guided the psychologist we performed two processes of data collection. The first was to define the stages of intervention professional psychologist to examine. The second was to execute and register the product for each stage of intervention for subsequent examination. For each of the stages was possible to explicit the concepts of behavior and contingency of reinforcement as guiding the intervention performed. In the initial stages of such concepts constitute benchmarks to characterize the behavioral processes submitted by individuals and from its characteristics was possible to derive a class of behaviors "develop behaviors related to self-care and personal hygiene" as the goal of intervention. In later stages the concepts of behavior and contingency of reinforcement substantiate procedures to increase visibility of the behavior to be developed. The decomposition procedure of behaviors explained 58 intermediate simpler to be developed. The procedure of functional analysis of behavior enabled explicit variables that are nuclear, which assisted the planning conditions for development of such behaviors. From such planning intervention was performed and the results indicate the development of the proposed class of behaviors aimed at intervention, highlighting the increase in the frequency with which caregivers showed behaviors related to help sheltered to submit other behaviors. As a result there was an increase in the degree of autonomy of the sheltered to present the behaviors of food with the spoon and bathe.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106877
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
321676.pdf 3.164Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar