Conhecimento ecológico local dos pescadores do litoral de Santa Catarina sobre a tainha mugil liza valenciennes 1836 9osteichthyes, mugilidae)

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Conhecimento ecológico local dos pescadores do litoral de Santa Catarina sobre a tainha mugil liza valenciennes 1836 9osteichthyes, mugilidae)

Mostrar registro completo

Título: Conhecimento ecológico local dos pescadores do litoral de Santa Catarina sobre a tainha mugil liza valenciennes 1836 9osteichthyes, mugilidae)
Autor: Herbst, Dannieli Firme
Resumo: A migração da tainha ocorre durante sua época reprodutiva, momento que grandes cardumes passam pelo litoral de Santa Catarina, gerando uma elevada produtividade pesqueira no sul/sudeste do Brasil. Sendo assim, existe uma forte relação socioeconômica e cultural do homem com a espécie. A presente dissertação está organizada em três capítulos. O primeiro investigou o conhecimento dos pescadores a respeito das espécies da família Mugilidae que ocorrem no litoral de Santa Catarina, bem como sua classificação folk para as espécies reconhecidas e os aspectos considerados na classificação de tais espécies. O segundo capítulo investigou a história natural da tainha M. liza Valenciennes (1836), incluindo aspectos migratórios, alimentares, reprodutivos e comportamentais, a partir da etnoecologia dos pescadores de Santa Catarina. O terceiro capítulo teve como objetivo investigar a percepção dos pescadores artesanais sobre as mudanças na pesca e nos estoques da tainha e a existência da síndrome dos referenciais dinâmicos. As amostragens abrangeram oito municípios do litoral catarinense. Os informantes foram selecionados através da técnica bola-de-neve. Os dados foram coletados através de entrevistas: estruturadas e semiestruturadas (agosto/2011 a junho/2012). Foram realizadas 45 entrevistas semiestruturadas e 87 entrevistas estruturadas (29 de cada classe etária: pescadores jovens, pescadores de meia-idade e pescadores experientes). No primeiro capítulo observamos que os pescadores reconhecem apenas duas espécies das quatro do gênero Mugil que ocorrem no litoral de Santa Catarina. Elas são reconhecidas pelos genéricos folk parati e tainha e possui um alto número de específicos folk, 10 e 21 respectivamente. Os pescadores classificam as tainhas de acordo com suas características morfológicas, ontogenéticas, ecológicas, comportamentais e sua procedência. Diferentes populações de tainha podem existir ao longo do litoral brasileiro e catarinense. No segundo capítulo, os pescadores apontam que a rota migratória da tainha pode variar de acordo com condições climáticas e oceanográficas (e.g.: temperatura, vento, precipitação, correntes marinhas, salinidade). Tais condições influenciam também a abundância da tainha, a saída dos locais que elas vivem, as capturas e as paradas nas praias, costões e ilhas. Os motivos das paradas da tainha são: desova, alimentação, proteção, descanso e temperaturas mais quentes. De acordo com os pescadores, a desova da tainha ocorre ao longo do litoral de Santa Catarina (em rios, lagoas e costões), principalmente entre julho e setembro. 62% dos pescadores já encontraram tainha com a ova embaixo da escama, evento não encontrado na literatura. No terceiro capítulo, encontramos que o número de pescadores jovens está diminuindo e que 72% dos pescadores percebem a diminuição dos estoques de tainha. A síndrome dos referenciais dinâmicos não está ocorrendo entre os pescadores de tainha, porém, as médias das capturas lembradas pelos pescadores mais experientes são significativamente maiores que aquelas lembradas pelos pescadores de meia-idade e jovens. Sendo assim, as regressões e ANOVA refletem uma tendência de declínio dos estoques e apontam diferenças intergeracionais nas maiores capturas lembradas pelos pescadores <br>Abstract: The migration of mullets Mugil spp occurs during its reproductive period, where large shoals pass through the coast of Santa Catarina state and generates high fishing productivity in the southern/south coast of Brazil. Thus, there is a strong socioeconomic and cultural relationship between men and the species. This dissertation is organized in three chapters. The first investigates fishers? knowledge on species of the Mullet genera occurring in the coast of Santa Catarina state, as well as ethnotaxonomy for species identification and related classificatory aspects. The second chapter investigates natural history of the M. liza Valenciennes (1836), including migratory, feeding, reproductive and behavioural aspects based on Santa Catarina fishers? ethnoecology. The third chapter investigates the perception of artisanal fishermen over changes in mullet fisheries and stocks, as well as the occurrence of the shifting ecological baselines syndrome. Samples encompassed eight cities, and informants were selected through snow-ball technique. Data was collected trough structured (n=85; n=29 for each age class: young, mid-age and elderly) and semi-structured interviews (n=45) (August/2011 to June/2012). In the first chapter we observed that fishermen recognizes only two species of four of the Mugil spp species occurring in coastal Santa Catarina state. They are recognized through the generic folk ?Parati? and ?Tainha? with high number of folk species, accounting for 10 and 21 respectively. Fishermen have detailed knowledge on differences in mullets within a shoal and classifies according to morphological, ontogenetics, ecological, behavioural and origin aspects. Different populations of mullets can exist along coastal Brazil, once M. liza is known to exhibit wide distribution and that latitudinal temperature gradients can act as bio-geographical barriers. Fishermen outline that mullet migration it can vary according to climatic and oceanographic conditions (e.g.: temperature, wind, precipitation, marine currents, salinity). Such conditions also influence the abundance of mullets, their outflow from were they live and their stops at beaches, rocky shores and islands. The reasons for mullet stop are: spawning, feeding, protection, rest and warmer temperatures. According to fishermen, mullets spawn throughout the coast of Santa Catarina (in rivers, lagoons and rocky shores), mainly between July and September. 62% of fishermen have reported finding mullet individuals with eggs below their scales, an event not described by the scientific literature. In the third chapter we found that the number of young fishermen have been decreasing and that 72% perceives declining mullet fish-stocks. The shifting baseline syndrome is not occurring amongst mullet fishermen once every fishermen age class perceives the decline tendency of stocks. However, the mean capture size reported by elderly fishermen is significantly higher than that remembered by young and middle aged fishers. Thus, regressios and ANOVA analysis reflects a declining tendency in stocks and points to intergenerational differences in higher capture sizes remembered by fishermen.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-graduação em Ecologia, Florianópolis, 2013
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106876
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
318986.pdf 1.778Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar