Poços e corredeiras como áreas de desova e criação de peixes num tributário do Alto Rio Uruguai, Brasil

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Poços e corredeiras como áreas de desova e criação de peixes num tributário do Alto Rio Uruguai, Brasil

Mostrar registro completo

Título: Poços e corredeiras como áreas de desova e criação de peixes num tributário do Alto Rio Uruguai, Brasil
Autor: Simas, Sunshine de Ávila
Resumo: A importância da planície de inundação da bacia do Prata para a reprodução dos peixes e alimentação das larvas é largamente aceita, porém, existem poucos estudos avaliando o mosaico de ambientes do canal principal e a sua importância no desenvolvimento inicial dos peixes. Este trabalho teve como objetivo avaliar a importância de dois ambientes situados no canal principal do rio do Peixe (afluente do alto rio Uruguai) na reprodução e crescimento dos peixes. As coletas do ictioplâncton, macrozooplâncton e zoobentos foram realizadas mensalmente no período de outubro de 2011 a março de 2012, amostrando um ambiente de corredeira e um ambiente de poço. Os fatores abióticos locais (temperatura, oxigênio dissolvido, pH, transparência, condutividade elétrica e velocidade da água) também foram mensurados. Os instrumentos utilizados para a captura do ictioplâncton nos dois ambientes foram redes de arrasto e armadilhas luminosas. Do total de larvas capturado, 29,3% se encontravam em estágio larval vitelino, 49,3% em pré-flexão, 7,9% em flexão e 13,5% em pós-flexão. Foi verificada a presença de larvas de migradores (Leporinus obtusidens) nos dois ambientes avaliados no presente estudo, indicando que os tributários vêm servindo como berçários naturais para esta espécie. Em geral, o ambiente de poço apresentou uma maior abundância de larvas nos estágios mais avançados de desenvolvimento (pré-flexão, flexão e pós-flexão) e no ambiente de corredeira houve uma maior abundância de ovos e de larvas no estágio larval vitelino, mostrando que estágios larvais podem ter correlação positiva com a velocidade da água nesses dois ambientes. Adicionalmente, foi verificada uma seletividade na captura pelos equipamentos utilizados, sendo que as redes pelágicas capturaram mais ovos e larvas das fases iniciais, enquanto que as armadilhas foram mais eficientes na captura de larvas em estágios mais desenvolvidos. De acordo com os resultados encontrados, foi possível observar que houve uma clara segregação dos estágios de desenvolvimento nos dois ambientes. Conclui-se que o canal do rio do Peixe é importante para a reprodução e crescimento de peixes e que cada ambiente do rio parece cumprir um papel diferente no ciclo de vida da comunidade ictioplanctônica. <br>
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Aquicultura, Florianópolis, 2013.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106819
Data: 2013


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
319271.pdf 1.463Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar