Além da segurança hemisférica: diplomacia, propaganda e política nas relações entre Brasil e Estados Unidos (1937-1946)

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Além da segurança hemisférica: diplomacia, propaganda e política nas relações entre Brasil e Estados Unidos (1937-1946)

Mostrar registro completo

Título: Além da segurança hemisférica: diplomacia, propaganda e política nas relações entre Brasil e Estados Unidos (1937-1946)
Autor: Valdez, Virgínia Mara Hinojosa
Resumo: Esta dissertação tem como objeto a agência estadunidense Office of the Coordinator of Inter-American Affairs - CIAA, que funcionou de 1941 a 1946. Suas atividades condisseram com os auspícios da Política da Boa Vizinhança, em tempos de abandono da intervenção violenta pelos EUA. A intenção é, a partir da análise de sua trajetória, buscar os posicionamentos estadunidense e brasileiro frente a esse contexto de estreitamento das relações. Classificamos a agência como um canal de propaganda desenvolvida por destacados estadunidenses para manter apoio e público nos países vizinhos. Com o estudo, é possível perceber que esse destacado grupo se constitui, além dos maiores nomes do governo, de empresários de maior destaque financeiro do mundo. Isso foi desencadeado pela ponte feita pelo coordenador do CIAA, Nelson Rockefeller, escolhido diretamente pelo presidente Franklin Roosevelt, o que fez com que propaganda política e propaganda comercial ficassem embaralhadas. De outro lado, buscamos a postura do Brasil nesse processo (assim como o início do desenvolvimento de sua própria propaganda), desde sua neutralidade, até o alinhamento contínuo, tendo a influência estadunidense permanecido mesmo após o fim da Segunda Guerra Mundial.<br>Abstract : This thesis focuses the agency of the U.S Office of the Coordinator of Inter-American Affairs - CIAA, which ran from 1941 to 1946. Its activities were consistent with the auspices of the Good Neighbor Policy, in times of abandonment of violent intervention by the United States. From the analysis of its trajectory, the intention is to fetch the U.S. and Brazilian positions against the context of narrowed relations. We classify the agency as a channel of propaganda developed by leading U.S. citizens to maintain both support and public in neighboring countries. With the research, we find that this group is constituted, in addition to the biggest names in government, the most prominent businessmen of the financial world. This was triggered by the bridge made by the coordinator of the CIAA, Nelson Rockefeller, appointed directly by President Franklin Roosevelt, which led to political propaganda and commercial advertising, which eventually shuffled. On the other hand, we seek the position of Brazil in this process (as well as the beginning of the development of its own propaganda), from its neutrality, to the continuous alignment, and U.S. influence remained even after the end of World War II.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2012
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106735
Data: 2013-12-05


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
317331.pdf 0bytes PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar