Fenologia, predação e dispersão de sementes de Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman em ambientes insulares, em SC

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Fenologia, predação e dispersão de sementes de Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman em ambientes insulares, em SC

Mostrar registro completo

Título: Fenologia, predação e dispersão de sementes de Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman em ambientes insulares, em SC
Autor: Silva, Fernanda Ribeiro da
Resumo: As palmeiras são consideradas espécies-chave em florestas tropicais devido a grande importância como recurso alimentar para a comunidade de frugívoros em épocas de escassez. Palmeiras têm sido utilizadas como modelo na avaliação de como os processos de dispersão e predação de sementes estão sendo afetados pela fragmentação e alteração das florestas tropicais. Este trabalho se propõe a analisar alguns dos processos ecológicos que envolvem Syagrus romanzoffiana (palmeira jerivá) dentro de ecossistemas insulares em Santa Catarina. Os locais estudados foram o Parque Municipal da Lagoa do Peri (PMLP), na Ilha de Santa Catarina, e a Ilha do Campeche (IC), consistindo dois ambientes de Florestas Ombrófila Densa de diferentes tamanhos. O PMLP possui 2000ha e é o fragmento mais conservado da Ilha de Santa Catarina, abrigando uma ampla variedade de potencias dispersores dessa palmeira. A IC possui 53ha e tem como situação particular o grande número de quatis (Nasua nasua), introduzidos na década de 40. O trabalho teve como objetivos: conhecer os padrões fenológicos de S. romanzoffiana nas duas áreas, verificar como as diferenças na composição e riqueza de fauna entre os locais afetam a dispersão e a predação de sementes e analisar a produção e a predação pré-dispersão das sementes no PMLP. Como observação secundária, o trabalho relata o uso de sementes ocas como locais de nidificação de formigas. Observou-se que pelo menos 25 sementes foram ocupadas por ninhos de formigas, sendo registrado um total de onze espécies. Apesar das sementes serem abundantes no ambiente, a taxa de ocupação foi baixa, provavelmente devido ao tamanho que limita a ocupação somente às menores espécies de formigas. A floração de S. romanzoffiana ocorreu de setembro a fevereiro na IC e de novembro a fevereiro no PMLP. Os frutos estiveram presentes o ano inteiro nas duas áreas, sendo que a oferta de frutos maduros se deu por no mínimo oito meses. Isso demonstra que durante todo ano existe uma oferta de frutos para os predadores e dispersores de sementes nas infrutescências e no solo. A dispersão (remoção) e a predação de sementes se mantiveram com altas taxas nas duas áreas e não foram afetadas pelas diferenças entre a composição e riqueza de fauna dos locais de estudo. Foi encontrada uma variedade de frugívoros consumidores dos frutos no PMLP, e, pelo menos, cinco são potencias dispersores. Na IC, apesar da menor diversidade de frugívoros presentes, a dispersão das sementes de S. romanzoffiana parece estar sendo favorecida pela abundância de quatis. Quanto à estrutura da população, a maior diferença encontrada foi no número de adultos reprodutivos, superior na IC. Essa diferença pode ser atribuída as maiores condições de borda na IC, uma vez que o desenvolvimento até a fase adulta parece ser favorecido por melhores condições de luz. A maior pressão envolvendo a espécie é a predação de sementes na fase de pré-dispersão, onde mais da metade das sementes podem ser consumidas por larvas de um Curculionidae específico, Revena rubiginosa. No PMLP, a produção de sementes é alta e sofre variações em nível individual e populacional entre anos reprodutivos. Uma vez que ocorre alta densidade de plântulas e sementes viáveis nas áreas, anos com alta produção de sementes parecem ser suficiente para saciar a população dos predadores específicos e permite que algumas sementes escapem e possam ser dispersas, encontrando condições favoráveis para a germinação e o estabelecimento.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/106611
Data: 2008


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
258009.pdf 2.127Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar