Uso de dejetos suínos e absorção de nutrientes pela cultura do milho e plantas espontâneas

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Uso de dejetos suínos e absorção de nutrientes pela cultura do milho e plantas espontâneas

Mostrar registro completo

Título: Uso de dejetos suínos e absorção de nutrientes pela cultura do milho e plantas espontâneas
Autor: Léis, Cristiane Maria de
Resumo: No Brasil, a suinocultura é uma importante atividade econômica, principalmente para o Estado de Santa Catarina, o qual destaca-se no cenário nacional como o maior produtor de suínos do país. Há décadas, o sistema de produção de suínos neste Estado vem se intensificando, gerando com isso um acentuado volume de dejetos nas unidades produtoras, dejeto este que, no geral, é inadequadamente manejado, contribuindo para a contaminação dos solos e deterioração da qualidade das águas superficiais e subsuperfíciais. Uma alternativa de uso racional para os dejetos de suínos gerados, é sua utilização na agricultura, pois apresentam elementos químicos que podem suprir a necessidade nutricional das plantas cultivadas. Desta forma, o objetivo deste estudo foi avaliar a ciclagem de nutrientes primários dos dejetos de suínos na cultura de milho e em plantas espontâneas e os efeitos sobre o solo. Para tal, conduziu-se um experimento no município de Braço do Norte - SC sob um solo originalmente classificado como Argissolo Vermelho Amarelo Distrófico típico sob sistema de plantio direto e sem o uso de agrotóxicos. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso e os tratamentos foram: testemunha (T); cama sobreposta de suínos (ACS), esterco líquido de suínos (AEL) e adubação química (AQ), todos, à exceção da testemunha, com uma e duas vezes a recomendação de N para a cultura do milho. Os maiores teores de N foliar foram encontrados aos 60 dias após a semeadura nos tratamentos com cama sobreposta, seguidos por dejeto líquido, com valores intermediários, e adubação com uréia. A incidência de plantas espontâneas não interferiu no rendimento do milho e os teores de P ao longo do ciclo do milho foram superiores aos considerados ideais nos tratamentos com adubação orgânica, enquanto os teores foliares de K, em geral, permaneceram ao longo do ciclo na faixa considerada ótima em todos os tratamentos. A adubação com dejetos de suínos com base no critério do fornecimento do N às culturas induziu a um acúmulo de P e K no solo.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas, Florianópolis, 2009
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/103241
Data: 2013-07-16


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
270031.pdf 1.099Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar