O Processo de socialização na construção da identidade dos bibliotecários em Santa Catarina

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

O Processo de socialização na construção da identidade dos bibliotecários em Santa Catarina

Mostrar registro completo

Título: O Processo de socialização na construção da identidade dos bibliotecários em Santa Catarina
Autor: Spudeit, Daniela Fernanda Assis de Oliveira
Resumo: Este estudo tem por objetivo compreender como a socialização contribui no desenvolvimento do processo de identidade do bibliotecário. Os objetivos específicos foram: identificar o perfil dos bibliotecários, identificar os motivos que despertaram a escolha pela profissão de bibliotecário, identificar as formas de inserção do bibliotecário no mundo do trabalho e verificar o modelo de profissão construído pelos bibliotecários durante a socialização. A conceituação teórica de socialização e identidade utilizada neste trabalho de pesquisa está fundamentada nas teorias de Hughes (1958) e Dubar (2005). A pesquisa é de cunho empírico com abordagem qualitativa. Para a análise dos dados, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo de Bardin (2004). O instrumento de coleta de dados foi uma entrevista semiestruturada. Seus sujeitos são bibliotecários registrados na 14ª Região do Conselho Regional de Biblioteconomia, graduados em 2006 na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) que exercem a profissão de bibliotecário. As variáveis da pesquisa foram: idade, sexo, instituição de formação, formação complementar, local de trabalho, experiência profissional. Os dados foram analisados tendo como parâmetro o Modelo de Socialização Profissional de Hughes (1958), com três etapas: passagem através do espelho, instalação da dualidade e ajuste da concepção de si. Com esta pesquisa, foi possível compreender a contribuição da socialização na construção da identidade dos bibliotecários formados pela UDESC e pela UFSC. Segundo as respostas dos entrevistados, foi possível perceber que o interesse pela profissão foi despertado pelos interesses e oportunidades que tiveram e pelo gosto da leitura. Conforme os entrevistados, o curso foi escolhido por ser pouco concorrido. Muitos deles não conheciam a profissão e se identificaram com ela no decorrer do curso. Tiveram influência de familiares e amigos que conheciam a profissão, comprovando que a socialização primária foi vital para a escolha da profissão. A identidade dos entrevistados foi construída por meio das relações pessoais e profissionais e com o ambiente de trabalho. A sua inserção profissional foi feita principalmente por indicação de colegas que já estavam atuando na área, comprovando a influência das relações sociais nessa etapa. Em relação ao modelo de profissão, percebe-se nos depoimentos, as três etapas de socialização do modelo de Hughes (1958). As respostas desta pesquisa evidenciaram que, no processo de construção da identidade profissional, os bibliotecários tiveram uma imersão na cultura profissional, a primeira etapa da socialização profissional. A seguir, passaram pelo choque de realidade. Esta é a segunda fase em que o profissional percebe a diferença entre o modelo ideal de profissão e o real presente no cotidiano profissional. Na terceira etapa, ou ajuste da concepção de si, o indivíduo refaz seu modelo profissional com base na imagem idealizada e a imagem real de profissão. Conclui-se que a identidade profissional está sempre se construindo no decorrer da vida do bibliotecário, de acordo com suas vivências, experiências, do meio em que está inserido e das mudanças do mundo do trabalho. Esse ambiente exige novas competências profissionais e faz com que o modelo profissional se altere, modificando, dessa forma, a identidade do bibliotecário.This study aims to understand how socialization contributes in the development of librarians identity process . The specific objectives were to identify the profile of librarians, identify the reasons which raised the interest in the profession, to verify the forms of insertion of the librarian in the labour market and to identify the model of profession constructed during socialization. The theoretical concept of socialization and identity used in this study is based on the theories of Hughes (1958) and Dubar (2005). It is an empirical research with qualitative approach. For the data analysis we used Bardin´s(2004) technique for analysis. The gathering of data was carried out via a semi-structured interview. The objects of the interview were librarians registered at 14ª "Região do Conselho Regional de Biblioteconomia", graduated in 2006 at the Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) and at the Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), all of them working as librarians. The variables of the research were : age, sex, college where they studied, complementary education, place of work and professional experience. The data was analyzed according Hughes (1958) model of professional socialization in three stages: passage through the mirror, establishment of duality and the adjustment of the conception of self. Through this research we were able to understand the contribution of socialization in the building of the identity of librarians graduated at UDESC and at UFSC. According to the answers of the interviewees we observed that the interest for the profession was raised by the interests and opportunities they had and by their interest in reading. The course was chosen because it is one that has fewer candidates. Many of the interviewees were not familiar with the profession and identified in the university. They were influenced by family members and friends who knew the profession, which proves that primary socialization was fundamental in the selection of the profession. The identity of the interviewees was built through personal and professional relations and in the workplace. Their professional insertion was enabled mainly through the recommendation of colleagues who were already working in the area, which proves the influence of social relations in this stage. In relation to the model of the profession we noticed in the answers to the interview Hughes (1958) model socialization. The answers gave evidence that in the process of building of professional identity, the librarians merged in the professional culture, which is the first stage of socialization. Then, they experienced the shock of reality. This is the second stage where the professional becomes aware of the differences between the ideal model of profession and the day by day realities of their profession. In the third stage, the adjustment of the conception of self, the individual rebuilts his/her professional model based on the idealized image and the real image of the profession. We conclude that the professional identity is in a constant rebuilding process throughout the life of a librarian, according to his/her experiences, his/her environmental context and the changes in the workplace. This environment demanded new professional competences, causing the professional model to change and thus, changing the librarians identity.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Florianópolis, 2010
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/94404
Data: 2012-10-25


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
288188.pdf 352.2Kb PDF Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar