DEGRADAÇÃO DE AGROTÓXICO NA CALDA EXCEDENTE PELO PROCESSO UV/H2O2

DSpace Repository

A- A A+

DEGRADAÇÃO DE AGROTÓXICO NA CALDA EXCEDENTE PELO PROCESSO UV/H2O2

Show simple item record

dc.contributor Universidade Federal de Santa Catarina pt_BR
dc.contributor.advisor Hassemer, Maria Eliza Nagel
dc.contributor.author Magro, Paula
dc.date.accessioned 2019-05-02T13:08:51Z
dc.date.available 2019-05-02T13:08:51Z
dc.date.issued 2018-06-25
dc.identifier.uri https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/195613
dc.description TCC(graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Tecnológico. Engenharia Sanitária e Ambiental. pt_BR
dc.description.abstract O uso abusivo dos agrotóxicos no mundo todo vem trazendo uma preocupação com os problemas ambientais e sociais provocados por estes produtos. Os agrotóxicos apresentam uma ameaça ao meio ambiente e a saúde humana. O presente trabalho estudou o processo oxidativo avançado UV/H2O2 como uma alternativa de tratamento do agrotóxico Clorpirifós (CP), através da degradação do produto. Para isto foi realizado um experimento em escala laboratorial com reator de bancada e radiação UV através de lâmpada de mercúrio. Foi analisada a degradação do agrotóxico utilizando diferentes concentrações de peróxido de hidrogênio, 1500, 1750 e 2000 mg.L-1 respectivamente, durante três tempos de reação, 40, 60 e 80 minutos, para cada concentração. O pH se manteve ácido durante toda a reação. A concentração residual de peróxido apresentou um resultado diferente do esperado, sofrendo um aumento com o tempo de reação. A concentração do Clorpirifós apresentou diminuição significativa para um pré-tratamento, tendo comportamento muito similar para as concentrações de peróxido de hidrogênio de 1750 e 2000 mg.L-1, chegando a uma eficiência máxima de degradação de 32%. Nos primeiros 40 minutos de reação se obteve a queda de concentração do CP mais significativa. A reação de degradação desse agrotóxico pode ser explicada com uma reação cinética de pseudo-primeira ordem. As constantes obtidas para a cinética de pseudo-primeira ordem apresentam um comportamento diretamente proporcional em relação a concentração de agente oxidante, porém os resultados obtidos foram muito similares para todas as concentrações de H2O2 analisadas. É possível determinar que a concentração de peróxido de hidrogênio mais adequada testada nesse estudo foi de 1750 mg.L-1, devido aos resultados para esta concentração serem muito próximos aos da concentração máxima estudada. O tempo de reação mais adequado foi em torno de 40 minutos, otimizando o processo, diminuindo os custos e o tempo de reação. pt_BR
dc.format.extent 78 f. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Florianópolis, SC. pt_BR
dc.subject Processo oxidativo avançado, UV/H2O2, agrotóxico, clorpirifós pt_BR
dc.title DEGRADAÇÃO DE AGROTÓXICO NA CALDA EXCEDENTE PELO PROCESSO UV/H2O2 pt_BR
dc.type TCCgrad pt_BR
dc.contributor.advisor-co Bernardelli, Priscila Veiga


Files in this item

Files Size Format View
TCC Paula Magro.pdf 1.459Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar