Porque jamais existiu uma Idade Média e temas afins. Um livro para quem gosta de Filosofia

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Porque jamais existiu uma Idade Média e temas afins. Um livro para quem gosta de Filosofia

Mostrar registro simples

dc.contributor.author Cunha, Mariana Paolozzi Sérvulo da
dc.contributor.author Monteiro, Neusa (Orgs.)
dc.date.accessioned 2016-09-06T20:35:53Z
dc.date.available 2016-09-06T20:35:53Z
dc.date.issued 2016-09-06
dc.identifier.isbn 978-85-60501-22-9
dc.identifier.uri https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/167178
dc.description Livro pt_BR
dc.description.abstract Todos os temas deste livro relacionam-se, de certa forma, aos questionamentos sobre a “não existência” da Idade Média. É isso mesmo. A partir da discussão sobre a necessidade de uma nova cronologia para nossa história, e a partir de reflexões principalmente sobre os períodos patrístico (notadamente Agostinho) e escolástico, foram apresentados aos alunos diversos assuntos que, não obstante relacionados ao nosso dia-a-dia (trivial ou não), têm algo a ver com esses períodos. A estereotipia Idade Média igual a “astenia cultural”, “domínio irrestrito da Igreja”, ou “fanatismo religioso” vem retrocedendo. A Idade Média concebida como Idade das Trevas - um desses desvios históricos cuja anomalia o distanciamento torna cada vez mais patente – lentamente perde força. À lenda negra dos renascentistas e iluministas contrapõe-se a lenda rosa dos românticos: a Idade Média representaria não a derrocada (barbárie), mas o auge da civilização ocidental, em que se teriam realçados os valores espirituais. Todavia, nem negra, nem rosa, podemos ir mais além: não teria existido período mediano algum, de 1000 anos (a Idade Média), ou um hiato entre a civilização da Roma antiga e a nova Europa civilizada. Não se trata apenas de uma questão terminológica (a expressão “Idade Média” já seria em si mesma preconceituosa e arbitrária) e, portanto, de criticar uma cronologia hoje obsoleta, que divide a História Ocidental, a partir de uma visão eurocêntrica, em três períodos presos a uma camisa-de-força conceitual. pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.relation.ispartofseries
dc.subject Filosofia pt_BR
dc.subject Idade Média pt_BR
dc.subject Agostinho pt_BR
dc.subject Escolástica pt_BR
dc.subject História pt_BR
dc.title Porque jamais existiu uma Idade Média e temas afins. Um livro para quem gosta de Filosofia pt_BR
dc.type Book pt_BR


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização Descrição
Porque jamais existiu uma Idade Média.pdf 6.352Mb PDF Visualizar/Abrir Livro

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar