Teoria Marxista da Dependência: uma crítica a Ricardo Antunes

DSpace Repository

A- A A+

Teoria Marxista da Dependência: uma crítica a Ricardo Antunes

Show full item record

Title: Teoria Marxista da Dependência: uma crítica a Ricardo Antunes
Author: Alcantara, Gabriel Baesso de
Abstract: Com a categoria superexploração do trabalho tornou-se possível explicar o fundamento da existência de países que, desde a conformação do sistema capitalista em escala mundial, são subordinados e dependentes a outros países, o que implica, aos primeiros, severos problemas sociais. Estes países se diferenciam, justamente, pela forma de acumulação de capital que cada um utiliza. Se exploração e superexploração fossem a mesma coisa variada quantitativamente, não engendrariam formações econômicas qualitativamente distintas. A diferença entre elas está na lei do valor: a primeira a obedece, a segunda não. A primeira é característica dos países dominantes, a segunda, dos dominados. Além disso, para se compreender a importância deste conceito, necessária é uma determinada concepção de realidade, que a considera como totalidade histórico-concreta, a qual induz o movimento das partes, mas é também por elas constituída, que a considera uma unidade dialética entre essência e aparência, que a considera obra da práxis da humanidade. Quando se utiliza o conceito de forma distorcida - diferentemente do modo como o fez a teoria marxista da dependência - a análise perde o rigor, ganha lacunas e ajuda a encobrir mais ainda os progressos do pensamento crítico latino americano, conjuntamente à onda neoliberal que varre nosso continente. Este é o caso do uso que dele faz Ricardo Antunes. Este, ao se propor explicar, através da superexploração do trabalho, os motivos das greves metalúrgicas de 1978-80, boicota a teoria marxista da dependência, particularmente a obra de Ruy Mauro Marini, e não consegue dar-nos uma contextualização convincente e coerente dos caminhos pelos quais o capitalismo brasileiro chegou àquela situação. O conceito é esfacelado, a compreensão, perdida. Em outras obras, tampouco Antunes reconhece a origem e o conteúdo do conceito de que se utiliza, penalizando-as com debilidades facilmente resolvidas caso o conceito seja utilizado conforme Marini o fez.
Description: TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Economia.
URI: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/121085
Date: 2011


Files in this item

Files Size Format View
298945.pdf 581.6Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar