A ambiguidade da tecnologia: da analítica de Mario Bunge à hermenêutica de Lewis Mumford

DSpace Repository

A- A A+

A ambiguidade da tecnologia: da analítica de Mario Bunge à hermenêutica de Lewis Mumford

Show full item record

Title: A ambiguidade da tecnologia: da analítica de Mario Bunge à hermenêutica de Lewis Mumford
Author: Lenzi, Letícia
Abstract: A partir da Modernidade, a ciência passou a ser empregada na produção sistemática de novos processos e produtos, dando origem ao que hoje designamos como tecnologia, ou técnica de base científica. O impacto deste novo campo de pesquisa e desenvolvimento de artefatos e a influência que os mesmos exercem na vida do homem contemporâneo faz da tecnologia um objeto de estudo filosófico fundamental. Tradicionalmente este estudo foi polarizado entre a análise de engenheiros e tecnólogos, pensadores otimistas e confiantes no poder da tecnologia em aperfeiçoar a vida humana, e a crítica de historiadores, sociólogos e filósofos que procuraram denunciar seu lado destrutivo ou obscuro, e os malefícios de uma vida guiada por seus valores. Esta pesquisa tem como objetivo apresentar a índole ambivalente da tecnologia, expressa na filosofia de dois autores que representam tendências distintas em lidar com o problema. De um lado a filosofia analítica de Mario Bunge, tratando a tecnologia prioritariamente em seu âmbito epistemológico, e de outro, a hermenêutica de Lewis Mumford, que busca esclarecer o contexto histórico e a dimensão social e política inerente ao fenômeno tecnológico. O confronto entre suas teses permite o destaque da ambiguidade como característica fundamental da técnica moderna, importante para o tratamento filosófico da mesma, já que, cada enfoque, ao destacar aspectos distintos sobre um mesmo fenômeno, pode sugerir conclusões diversas e até contraditórias. Em todo caso, fica claro que, qualquer que seja a abordagem escolhida, a reflexão filosófica sobre a tecnologia, embora privilegiando determinado aspecto desse complexo fenômeno, não pode esquivar-se de incluir, sequer minimamente, uma meditação sobre questões tais como a da existência ou não de uma natureza humana, o valor da tecnologia para a emancipação humana, as razões para acreditarmos no progresso de nossa espécie ao lado dos avanços tecnológicos, o estatuto ontológico do natural e do artificial, as peculiaridades do conhecimento tecnológico frente à ciência aplicada e ainda os possíveis caminhos para a solução dos problemas gerados pelas tecnologias.<br>Abstract : Since Modernity, science began to be used in the systematic production of new processes and products, giving rise to what we now call technology or science- based technic. The impact of this new field of research and development of artifacts plus the influence that they have on modern life turns technology into a fundamental issue for philosophical study. Traditionally, this study has been polarized between the analyses of engineers and technologists, optimistic thinkers and overall confident about the role of technology in improving human life, and the criticism from historians, sociologists and philosophers who sought to report its destructive or dark side, and the ravages of a life guided by its values. This research aims at showing the ambivalent nature of technology, as expressed in the philosophy of two authors who represent those different tendencies in dealing with this subject. On one side Mario Bunge´s philosophical analysis of technology, mainly in its epistemological dimension, and on the other side the hermeneutics of Lewis Mumford, which seeks to clarify the historical context of technology and the social and political dimensions inherent in the technological phenomenon. The confrontation of their theses allows highlighting the ambiguity as a fundamental characteristic of modern technology, and it is important for its philosophical consideration, since each approach, emphasizing different aspects of the same phenomenon, may suggest different and even contradictory conclusions. In any case, it is clear that, whatever the chosen approach may be, the philosophical reflection about technology, despite ultimately favoring certain aspects of this complex phenomenon, cannot avoid including, even minimally, a meditation on issues such as the existence or not of a human nature, the value of technology for human emancipation, the reasons to believe in the progress of our species alongside technological advancements, the ontological status of the natural and the artificial, the peculiarities of technological knowledge and applied science and also the possible ways to solve problems created by technology.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Florianópolis, 2013
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/103523
Date: 2013


Files in this item

Files Size Format View
316595.pdf 982.7Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account

Statistics

Compartilhar