La traduzione italiana di tenda dos milagres: uno sguardo agli aspetti religiosi

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

La traduzione italiana di tenda dos milagres: uno sguardo agli aspetti religiosi

Mostrar registro completo

Título: La traduzione italiana di tenda dos milagres: uno sguardo agli aspetti religiosi
Autor: Rondini, Alessandra
Resumo: A presente pesquisa se propõe analisar a tradução em italiano do romance de Jorge Amado Tenda dos milagres (2001 [1969]) (La bottega dei miracoli, 2006 [1978]) concentrando-se nos aspectos religiosos, transmitidos pelo léxico do candomblé. Parte-se da convicção de que a tradução de um texto literário para outra língua implica o movimento de levar um universo cultural para outro. De acordo com essa perspectiva, adota-se a visão de tradução cultural de Francis Henrik Aubert, que considera, obviamente, o aspecto linguístico dessa operação, mas também o aspecto extra-linguístico e destaca a importância que adquirem os marcadores culturais, que devem ser percebidos sempre no contexto em que aparecem, e constituem sinais de uma alteridade que deve ser apontada e respeitada, numa atitude e numa abordagem que remete ao "albergue do longínquo" de Antoine Berman. Tenda dos Milagres é um romance que contém inúmeros assuntos de interesse antropológico, social e cultural em sentido geral e, por isso, se estabeleceu uma comparação entre a tarefa do tradutor e a tarefa do antropólogo, ambos percebidos como mediadores culturais. A cultura, segundo Clifford Geertz, é um sistema de símbolos compartilhados por todos aqueles que contribuíram e contribuem para dar-lhe forma, sendo necessário portanto que o antropólogo e o tradutor se aproximem do ponto de vista do nativo que vive imerso num contexto muito bem definido culturalmente, embora ele não tenha consciência disso. Para poder dar conta dessa tarefa, o antropólogo e o tradutor deveriam ter conhecimento desse contexto. O romance escolhido foi, portanto, considerado exemplo de cultura como texto, de acordo com a abordagem proposta pela antropologia interpretativa, e o tradutor como tradutor de uma cultura, no presente caso, da cultura religiosa que permeia essa obra. As escolhas da tradutora Elena Grechi foram consideradas desse ponto de vista, buscando-se salientar, caso a caso, se elas possibilitam a compreensão do texto por parte do leitor italiano ou se, ao contrário, a impedem, e se, na pior das hipóteses, poderiam produzir uma tradução etnocêntrica. A partir das análises realizadas, a língua desse romance constitui um autêntico sincretismo linguístico - que não tem equivalente na língua de chegada -, assim como é sincrética a religião que ele narra e isso torna ainda mais complexa a operação da tradução<br>Abstract : This dissertation is an analysis of the Italian translation of Jorge Amado's novel, Tenda dos Milagres (2001 [1969]) (La bottega dei miracoli, 2006 [1978]), focusing on its religious aspects as conveyed by the vocabulary of candomblé. The premise is that the translation of a literary text into another language involves moving a cultural universe. In support of this perspective Francis Henrik Aubert#s view of cultural translation is opted, which takes both the linguistic and the extralinguistic aspects of the process into consideration, focusing on the importance of cultural markers, which should always be perceived in relation to the context in which they appear, and which constitute signs of an otherness which should be noted and respected in an attitude and an approach that refers to Antoine Berman's "auberge du lointain". Tenda dos Milagres is a novel which contains innumerable topics of anthropological, social and cultural interest; for this reason the study establishes a comparison between the task of the translator and that of the anthropologist: both of whom are perceived as cultural mediators. According to Clifford Geertz, culture is a system of symbols shared by all those who have given and continue to give shape to it, making it necessary for the anthropologist and the translator to come as close as possible to the point of view of the native, who is immersed in a well-defined cultural context even if he/she is unaware of the fact. In order to do this the anthropologist and translator alike should have a full understanding of this context. The novel under scrutiny is considered to be an example of culture as text, in accordance with the interpretative anthropological approach, and the translator is viewed as the translator of a culture, in this case the religious culture that permeates the text. The choices made by the translator, Elena Grechi, have been analysed from this perspective, in an attempt to ascertain whether they assist or hinder the understanding of an Italian reader, or whether they result in an ethnocentric translation. According to our analysis the language used in the novel constitutes a genuine linguistic syncretism - , which has no equivalent in the target language -, just as the religion described in the novel is itself syncretic, which makes the translation process much more complex
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão. Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis, 2012
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/103456
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
316410.pdf 1.273Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar