O cooperativismo do MST e a sustentabilidade no contexto da reforma agrária: o caso da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Charqueadas Ltda

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

O cooperativismo do MST e a sustentabilidade no contexto da reforma agrária: o caso da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Charqueadas Ltda

Mostrar registro completo

Título: O cooperativismo do MST e a sustentabilidade no contexto da reforma agrária: o caso da Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Charqueadas Ltda
Autor: Pinheiro, Angela Maria
Resumo: As constatações a cerca das dificuldades de reprodução dos pequenos agricultores no Brasil e a existência de uma grande massa populacional de excluídos do campo, conhecidos como 'sem-terras', norteou o interesse da presente pesquisa. Este trabalho foi elaborado com o objetivo de analisar a atuação de uma Cooperativa de Produção Agropecuária como possível indutora da sustentabilidade econômica, social e ambiental dos assentamentos de reforma agrária do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra. Para atender aos objetivos foi realizado estudo de caso no Assentamento 30 de Maio, localizado na cidade de Charqueadas/RS, no qual funciona a Cooperativa de Produção Agropecuária dos Assentados de Charqueadas Ltda - COPAC. A pesquisa é descritiva de abordagem qualitativa. Os resultados evidenciaram que a sustentabilidade do assentamento está relacionada à preservação dos recursos naturais, especialmente do solo, e que a opção pela agricultura orgânica decorreu desta constatação. Nesse contexto, a gestão cooperativista é reconhecida pelos assentados como a melhor alternativa encontrada para viabilizar a sustentabilidade destas famílias no campo. Constatou-se também que apenas a gestão cooperativista do assentamento não é suficiente para a manutenção dessas famílias no campo, faz-se urgente e necessária a atuação das instituições governamentais. Há carência no acesso a linhas de crédito e à tecnologia voltadas aos pequenos agricultores, que privilegiam a diversidade de produção e tem necessidades diferentes dos latifundiários adeptos da monocultura. A satisfação destas necessidades é fundamental para o êxito dos programas de reforma agrária
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Administração.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/101756
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
222238.pdf 1.617Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar