Acampamento Manoel Alves Ribeiro: uma saída para o desemprego?

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Acampamento Manoel Alves Ribeiro: uma saída para o desemprego?

Mostrar registro completo

Título: Acampamento Manoel Alves Ribeiro: uma saída para o desemprego?
Autor: Gomes, Ivana Maria Farias
Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar o processo de constituição do Acampamento Manoel Alves Ribeiro, ocorrido em 2002, no município de Palhoça, na Grande Florianópolis, considerando o contexto de vida e de trabalho nas periferias das grandes cidades, que provocou a ocupação de uma área na cidade e o posterior Acampamento. Um grupo de famílias oriundas das favelas de Frei Damião, no município de São José e Brejarú, no município de Palhoça, organizou-se junto ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para realizar a ocupação na BR -101. Penalizadas pelo desemprego, pela violência e pela falta de perspectivas de vida, estas famílias buscaram coletivamente uma possibilidade de superar as condições de miséria em que vivem. Para a realização da pesquisa, utilizou-se o levantamento bibliográfico e documental, além de entrevistas com representantes das principais entidades de apoio e de organização do Acampamento, incluindo lideranças do MST, de sindicatos urbanos e do movimento popular. Esta experiência, para o MST, foi inovadora e apresentou problemas de diversas naturezas, que o Movimento não estava acostumado a enfrentar na sua trajetória de luta, ao organizar trabalhadores que já vivem na cidade há muitos anos. Além disso, o Acampamento Manoel Alves Ribeiro revelou os grandes cinturões de pobreza que existem na grande Florianópolis, e o MST, como movimento social, apresentou-se como uma possibilidade de organizar os trabalhadores desempregados. This study has as purpose to analyse the process of accomplishment of the Acampamento Manoel Alves Ribeiro wich happened in 2002, in the city of Palhoça, next to the metropolitan region of Florianópolis, dealing with the way of life and the work in the outskirts of the big cities which caused the occupation of the land in the city and after it the building of the Acampamento. A group of families from a shantytown called Frei Damião, in the cities of São José and Brajarú, in Palhoça, organized with the Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) to settle on BR-101. Without work, suffering with the violence and the weak perspective of future in their lifes, these families wanted to search a better possibility for them and to escape from the misery in which they lived. To accomplish this research it was used a great survey of books and documents, beyond interviews with the representatives of the main organizations that help and organize the Acampamento including MST´s leaders, popular movements and urban unions. This experience, to MST, was new and had many problems from all kinds which the Movimento was not prepared to face in his history of fighting against the difficulties to organize workers that lived in the cities during a long time. Moreover, the Acampamento Manoel Alves Ribeiro reveals the big poverty (big poor areas) that exist in' the great metropolitan region of Florianópolis, and MST as a social movement present itself as a possibility to organize the unemployed workers.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/101752
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
231709.pdf 837.7Kb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Busca avançada

Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar