Comportamento diurno de bovinos leiteiros em sistema silvipastoril sob pastoreio racional voisin

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Comportamento diurno de bovinos leiteiros em sistema silvipastoril sob pastoreio racional voisin

Mostrar registro completo

Título: Comportamento diurno de bovinos leiteiros em sistema silvipastoril sob pastoreio racional voisin
Autor: Agudelo, José Alfredo Bran
Resumo: Foi escolhido um grupo de bovinos leiteiros em lactação (de 16 a 19 animais) com o objetivo de avaliar o comportamento diurno deles em um sistema silvipastoril manejado sob os princípios do Pastoreio Racional Voisin. As avaliações foram feitas em oito piquetes: três deles tinham quantidade moderada de árvores (sistema silvipastoril: SSP; sombra total entre 200-300 m2), outros três tinham poucas árvores dispersas (poucas árvores: PA; sombra total entre 20 e 60 m2); um piquete (controle positivo: SSP+) tinha abundantes árvores e área sombreada (428 m2) e outro não tinha árvores (controle negativo: SA-). Os comportamentos foram classificados em duas categorias: sociais (afiliação, agrupação e agonísticos) e cuidado corporal (grooming, excreção, procura de conforto mediante mudança de posição e postura); a frequência respiratória, a temperatura retal e a produção de leite foram utilizadas como indicadores do estado de termorregulação dos animais. O aumento da quantidade das árvores no SSP modificou a distribuição dos comportamentos sociais. Houve maior frequência de condutas agonísticas (Odds ratio -OR-: 6,9) e afiliativas (OR 7,5) na área sombreada no SSP. A agrupação dos bovinos foi afetada pela presença das árvores: observou-se maior percentagem de animais na área sombreada no SSP (Kruskal-Wallis, p <0,05); a sincronia do rebanho apresentou correlação negativa (p <0,05) com o índice de temperatura e umidade (ITU) nos piquetes que tinham árvores (SSP: -0,679; PA: -0,924, SSP+: -0,584). O ITU no local de estudo esteve, em geral, dentro dos limites da zona de conforto térmico para bovinos leiteiros (72), por conseguinte, não houve diferenças nas variáveis fisiológicas dos animais entre PA e SSP. O cuidado corporal dos bovinos também foi afetado pela presença de árvores: houve maior frequência de grooming com árvores no SSP (X2=50, p <0,05) e concentração de bostas no piquete SSP3 (Ip=0,51). Observou-se alta frequência de repouso (OR 7,4) e ruminação em decúbito (OR 8) na área sombreada no SSP. O aumento da quantidade de árvores nos piquetes SSP modificou a distribuição dos animais no espaço, bem como propiciou maior conforto dos bovinos mediado pelo enriquecimento ambiental (ocupacional, físico e sensitivo, principalmente).
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/96242
Data: 2012-10-26


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
308834.pdf 1.375Mb PDF Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar