Determinação da ploidia de três linhagens de Kappaphycus alvarezii (Rhodophyta, Gigartinales) cultivadas em laboratório e análise da ontogênese de calos da linhagem tetrasporofítica marrom

DSpace Repository

A- A A+

Determinação da ploidia de três linhagens de Kappaphycus alvarezii (Rhodophyta, Gigartinales) cultivadas em laboratório e análise da ontogênese de calos da linhagem tetrasporofítica marrom

Show full item record

Title: Determinação da ploidia de três linhagens de Kappaphycus alvarezii (Rhodophyta, Gigartinales) cultivadas em laboratório e análise da ontogênese de calos da linhagem tetrasporofítica marrom
Author: Zitta, Carmen Simioni
Abstract: Kappaphycus alvarezii (Doty) Doty ex P. C. Silva é uma alga vermelha de grande importância comercial por ser fonte de carragenana, hidrocolóide utilizado como agente espessante e gelificante em diversos ramos da indústria. Conseqüentemente, uma expansão dos cultivos por diversos países tem ocorrido durante mais de 40 anos, sendo que ao longo desse tempo, a espécie foi cultivada através de propagação vegetativa, resultando em diminuição da sua variabilidade genética. Uma das alternativas para melhorar a qualidade das linhagens cultivadas é ampliar os estudos básicos referentes à sua micropropagação e identificação da ploidia. Esse trabalho teve como objetivos: 1. determinar a ploidia de três linhagens de K. alvarezii cultivadas em laboratório; 2. analisar a ontogênese de calos da linhagem tetrasporofítica marrom. Para o primeiro objetivo, núcleos marcados com DAPI de três linhagens indicadas como "tetrasporofítica" marrom, "gametofitica" marrom e linhagem "EP" foram analisados através da microscopia de fluorescência confocal e programa ImageJ. O "tetrasporófito" marrom apresentou maior intensidade de fluorescência do núcleo, indicando o caráter tetrasporofítico (2N) quando comparado com o "gametófito" marrom e linhagem "EP", que apresentaram, respectivamente, 55,78% e 57,10% da intensidade de fluorescência, confirmando o caráter gametofítico (N) das mesmas.. Foi possível constatar ainda que esta técnica pode ser utilizada como uma ferramenta rápida para auxiliar na identificação da ploidia de linhagens até então desconhecidas. Para o segundo objetivo, explantes axênicos da linhagem tetrasporofítica marrom de K. alvarezii foram incubados em meio sólido por 60 dias. Ao 7o, 14o, 21o, 28o, 35o e 60o dia, amostras de explantes foram retirados da cultura e analisados através da microscopia de luz e eletrônica de transmissão. No final do período experimental, amostras de 60 dias foram analisadas ainda através da microscopia confocal. A formação do calo filamentoso foi iniciada na primeira semana, a partir das células corticais e medulares da região seccionada do explante em contato com o ar. Alterações na porção superior, das células corticais e medulares do explante, como o espessamento de parede celular, proliferação de membranas convolutas, aumento no número de mitocôndrias e alterações nos cloroplastos, indicaram a desdiferenciação destas células como pré-requisito para formação de células indiferenciadas. Durante todo o período experimental, as células do calo filamentoso apresentaram parede celular espessada com presença de polissacarídeos ácidos, sugerindo grande quantidade de carragenana, juntamente com polissacarídeos neutros (celulose). O citoplasma das células do filamento apresentou como principais características: grande quantidade de grãos de amido como material de reserva; presença de cloroplastos alterados com inúmeros plastoglóbulos em seu interior e tilacóides desorganizados; presença de diversas membranas convolutas e formação de vesículas vacuolares visualizadas pela compartimentalização citoplasmática. À medida que iam se proliferando os filamentos mantinham sua organização unisseriada, e ramificavam irregularmente, com diversas conexões intercelulares entre si. No interior de suas células, estruturas autofluorescentes foram observadas, sugerindo a presença de pigmentos fotossintetizantes, como também vários núcleos, indicando a capacidade de proliferação destas células. Observamos que apesar do estresse inicial causado no momento de isolamento de explantes e ínicio da cultura dos calos, os filamentos foram capazes de crescer e se desenvolver, mantendo suas células desdiferenciadas com intensa atividade metabólica. Esse conhecimento é de fundamental importância para o entendimento do processo de formação da estrutura do calo e pode criar bases para a compreensão posterior do processo de regeneração do talo apartir das células do calo.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Florianópolis, 2011
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/94778
Date: 2012-10-25


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar