Caracterização histoquímica, estrutural e ultraestrutural da esporogênese de Bostrychia radicans (Ceramiales, Rhodophyta) nos manguezais do Itacorubi e Ratones

DSpace Repository

A- A A+

Caracterização histoquímica, estrutural e ultraestrutural da esporogênese de Bostrychia radicans (Ceramiales, Rhodophyta) nos manguezais do Itacorubi e Ratones

Show full item record

Title: Caracterização histoquímica, estrutural e ultraestrutural da esporogênese de Bostrychia radicans (Ceramiales, Rhodophyta) nos manguezais do Itacorubi e Ratones
Author: Rover, Ticiane
Abstract: O manguezal caracteriza-se por apresentar uma baixa oxigenação, instabilidade do solo lodoso e a existência de uma variação rítmica de salinidade. Na Ilha de Santa Catarina, o manguezal do Itacorubi destaca-se como mais impactado por ações antrópicas e o manguezal de Ratones, localizado numa região menos povoada, menos impacto antrópico. Bostrychia radicans é dominante em comunidades de macroalgas associadas às raízes e caules de plantas típicas de manguezal. A sua reprodução é do tipo trifásica com predomínio da fase onde são produzidos esporos haplóides - os tetrasporângios. Nos ramos terminais algumas células corticais se diferenciam em tetrasporângios que após sofrem divisão meiotíca originam quatro células hapóides. O presente estudo teve por objetivo descrever e caracterizar comparativamente a histoquímica, organização histoquímica, estrutural e ultraestrutural da porção vegetativa e reprodutiva de B. radicans em dois manguezais, identificando possíveis alterações histoquímicas, estruturais e ultraestruturais, decorrentes de poluição metálica em ambientes impactados. Os ramos férteis e vegetativos foram fixados e processados para observação em microscopia de luz (ML), microscopia eletrônica de transmissão (MET) e para análises de metais. As secções para ML foram coradas com azul de toluidina (AT-O), ácido periódico de Schiff (PAS) e azul brilhante de Coomassie (CBB). A tetrasporogênese ocorre nas células pericentrais dos ramos terminais. Este processo é caracterizado inicialmente pelo aumento de volume celular decorrente da proliferação de organelas, que conferem ao citoplasma um aspecto denso. Nas Florideoficeae a divisão celular é parcial ficando as células ligadas por conexões intercelulares. Os tetrasporângios jovens, nas fases iniciais de maturação, permanecem conectados a célula mãe por conexões intercelulares. Após o aumento considerável de volume o tetrasporócito se divide tetraedricamente originando esporos haplóides. Em conjunto ao aumento da quantidade de organelas, a membrana plasmática sofre invaginações simultâneas em direção ao centro do tetrasporângio. Durante a clivagem da membrana em conjunto com a deposição da parede celular, é possível observar a presença de vesículas próximas à membrana, as quais possivelmente têm a função de depositar material para a formação da parede. O esporângio jovem apresentou um citoplasma mais denso rico em cloroplastos. A parede celular e a mucilagem, que envolvem os tetrasporângios, são de natureza ácida. A síntese e deposição de grãos de amido foram crescentes, estes preenchem a maior parte do volume citoplasmático do tetrasporângio maduro. Durante a tetrasporogênese os cloroplastos apresentaram organização estrutural típica dos cloroplastos característicos das algas vermelhas. Nessas organelas também ficou evidente a presença de ficobilissomos, agregados à membrana do tilacóide. Nos tetrasporângios os núcleos possuem grandes nucléolos elétron-denso com pequenas áreas elétron-transparentes a cromatina é difusa. Durante a tetrasporogênse a organela mais conspícua foi o complexo de Golgi, hipertrófico, formado por várias cisternas e vesículas dilatadas na região de maturação. A presença de corpos de Golgi hipertróficos e inúmeros ribossomos e grandes nucléolos caracterizam uma intensa atividade metabólica, possivelmente secretora, durante o processo de maturação dos tetrasporângios. Apesar do manguezal do Itacorubi apresentar características de ambiente impactado, não foi possível observar, através dos testes histoquímicos e ultraestruturais, variações na ontogênese dos tetrasporângios nos os dois ambientes estudados.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Florianópolis, 2010
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93511
Date: 2012-10-24


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar