Análise das informações sobre a droga crack: o que divulgam os meios de comunicação?

DSpace Repository

A- A A+

Análise das informações sobre a droga crack: o que divulgam os meios de comunicação?

Show full item record

Title: Análise das informações sobre a droga crack: o que divulgam os meios de comunicação?
Author: Queiroz, Larissa de Abreu
Abstract: A presente pesquisa teve como objetivos analisar informações sobre crack veiculadas em dois jornais de circulação nacional e realizar revisão sistemática da literatura científica sobre crack e mídia. Para tanto, este estudo apresenta-se dividido em duas etapas: a primeira está constituída por uma revisão sistemática sobre crack e mídia nas bases de dados Lilacs, Medline, Psycinfo, SciELO e Scopus. As buscas originaram um total de 306 artigos e, após aplicados os critérios de exclusão e inclusão, 13 artigos foram selecionados para análise. Os resultados dessa etapa estão descritos no primeiro artigo científico Crack e mídia: uma revisão sistemática da literatura científica. A realização da revisão sistemática reuniu dados importantes sobre a abordagem da mídia, com foco específico para o crack e identificou dois temas presentes nas publicações: Como o uso de crack é apresentado pela mídia e Percepção dos usuários sobre as informações divulgadas pela mídia. A partir deles foi possível identificar que há defasagem no aproveitamento dos meios de comunicação para ações em saúde, como prevenção e promoção. A utilização de abordagem superficial ao tratar do uso de crack, reforça estigmas e preconceitos sobre os usuários, bem como processos de exclusão social, afastando-os dos serviços e ações de saúde. A segunda etapa do estudo consistiu em uma pesquisa documental de notícias sobre crack nos jornais Folha de São Paulo e Carta Capital. Foram coletadas 347 notícias dentro do período de 1 ano e, selecionadas 109 a partir dos critérios de inclusão e exclusão. Dessa pesquisa resultou o segundo artigo científico A abordagem da mídia jornalística brasileira sobre o crack. Os resultados apontaram que as fontes mais utilizadas pelas reportagens foram políticos (39,45%), seguidos pelos profissionais jurídicos (20,18%) e depoimentos de usuários de crack (16,51%). Com relação às consequências sociais do uso do crack, as principais citadas foram tráfico (42,20%), confrontocom a polícia (15,60%) e roubos e/ou furtos (11,93%). A consequência física predominante nas matérias foi a dependência química (76,15%). Como intervenção ou alternativa para lidar com o consumo da droga, o tratamento foi apresentado em 62,39% das reportagens, seguido da repressão com 39,45%. Os dados mostraram uma abordagem alarmista no discurso midiático em relação ao crack, com poucas informações referentes a pesquisas científicas. Além disso, foram frequentemente utilizadas palavras e expressões que reforçam estigmas e preconceitos sobre o usuário.<br>Abstract : This research aimed to analize information about crack cocaine published in two national newspapers and to perform a systematic review of the scientific literature about crack cocaine and media. In order to This research is divided in two stages: the first is a systematic review about crack cocaine and media on the databases Lilacs, Medline, Psycinfo, SciELO e Scopus. The searches originated a total of 306 articles and, after the application of inclusion and exclusion criteria, 13 were selected for analysis. The results of this stage are described in the first scientific article: Crack cocaine and media: a systematic review of scientific literature. The realization of this systematic review gathered important data about the media approach, with specific focus on crack cocaine, and identified two topics present in publications: How the crack cocaine use is shown by the media and the perception of the users about the information released by the media. Based on them it was possible to identify that there is a gap in the communication means usage for health actions, as prevention and promotion. The usage of superficial approaches when discussing the crack cocaine use reinforces stigmata and prejudice against the users, as well as social exclusion, diverging them from health services and actions. The second stage of the study is a documentary research on the news about crack cocaine in the newspapers Folha de São Paulo and Carta Capital. We collected 347 news in a period of an year and 109 were selected using inclusion and exclusion criteria. From this research resulted the second scientific article: The brazilian journalistic media approach about crack cocaine. The results showed that the most used sources by the articles were politicians (39.45%), followed by law professionals (20.18%) and crack cocaine user testimonials (16.51%). The main social consequences of the crack cocaine use mentioned were traffic (42.20%), clashes with police (15.60%) and thievery (11.93%). The predominant physical result in the articles was chemical dependency (76.15%). As intervention oralternative to deal with the drug use, the treatment was mentioned in 62.39% of the articles, followed by repression, mentioned in 39.45% of the articles.The data showed an alarmist approach in the media discourse related to crack cocaine, with little information regarding scientific research. In addition, words and expressions that reinforce stigmata and prejudice against the drug user were frequently used.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Florianópolis, 2015.
URI: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/157301
Date: 2015


Files in this item

Files Size Format View
336626.pdf 1.173Mb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar