A experência da amizade na vida profissional: as relações intersubjetivas frente à dor e à morte em uma equipe de cuidados paliativos

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

A experência da amizade na vida profissional: as relações intersubjetivas frente à dor e à morte em uma equipe de cuidados paliativos

Mostrar registro completo

Título: A experência da amizade na vida profissional: as relações intersubjetivas frente à dor e à morte em uma equipe de cuidados paliativos
Autor: Vieira, Elisa Gomes
Resumo: Recorrer ao tema da amizade na atualidade, principalmente no contexto profissional da área da saúde, é pertinente na medida em que se percebe a dificuldade do estabelecimento de relações interpessoais no âmbito do trabalho, decorrente da competição e do individualismo que permeiam a sociedade contemporânea. As relações profissionais têm sido marcadas por um caráter impessoal que privilegia uma racionalidade instrumental e técnica. Neste contexto o objetivo geral deste estudo é entender as relações intersubjetivas estabelecidas em uma equipe de cuidados paliativos frente à dor e à morte, verificando a ocorrência ou não da experimentação de uma nova forma de vida profissional e de comunidade, como a amizade, além de verificar a continuidade do trabalho em equipe dentro de uma instituição pública de saúde. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, desenvolvida através de estudo de caso que utilizou duas estratégias para coleta e análise dos dados: entrevista semi-estruturada e observação naturalística que ocorreram no período entre março de 2007 a dezembro de 2007. A análise dos dados foi realizada baseada em Bardin (2006) dos quais foram depreendidos quatro núcleos temáticos principais: o primeiro foi visão do trabalho em equipe, composto pelas categorias: definindo equipe, entrada na equipe e capacitação profissional; o segundo núcleo foi a descrição das relações interpessoais com as categorias: hierarquia, liderança e pertencimento institucional; o terceiro núcleo temático foi as características do processo de trabalho, composto pelas categorias: discussão dos casos em conjunto, transposição da discussão teórica para prática cotidiana, ações em conjunto, possibilidade de crescimento pessoal e profissional; e o último núcleo temático foi as formas de sociabilidade na equipe, composto pelas categorias: constituição e manutenção da relação de trabalho, permanência na equipe. Constatou-se neste estudo que a experiência da amizade na vida profissional pode possibilitar outras formas de sociabilidade que vão além da competência técnicoprofissional específica de cada indivíduo, o que traria um novo olhar as relações intersubjetivas no contexto profissional contemporâneo, na medida em que nossa existência não fique condenada a apenas uma competição pessoal e profissional desenfreada com os outros, como prega a ética atual. Ao contrário, é alentador saber que construir relações de amizade e cuidar de si, ainda é possível e preferível, porque somente assim saberemos nos situar como seres humanos, sendo companheiros e solidários com todos os outros seres humanos, nos responsabilizando na definição do que somos e do que queremos ser e com quem queremos conviver.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/103230
Data: 2009


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
265541.pdf 1.020Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar