Percepção ao risco e efeito disposição: uma análise experimental da teoria dos prospectos

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Percepção ao risco e efeito disposição: uma análise experimental da teoria dos prospectos

Mostrar registro completo

Título: Percepção ao risco e efeito disposição: uma análise experimental da teoria dos prospectos
Autor: Mineto, Carlos Augusto Laffitte
Resumo: O presente trabalho se reporta a uma pesquisa experimental envolvendo a tomada de decisão sob condições de incerteza e risco na compra e venda de ações. O enfoque recai sobre o chamado efeito disposição. Esse efeito, uma consequência dos efeitos reflexo e ponto de referência da Teoria dos Prospectos de Daniel Kahneman e Amos Tversky (1979), consiste na diferenciação da percepção ao risco quando a decisão de escolha envolve ganhos ou perdas, tendo em vista um determinado ponto de referência. Ao vender mais rapidamente ativos que apresentaram ganhos, comparativamente a ativos que apresentaram perdas, os agentes econômicos demonstram aversão ao risco no campo dos ganhos e propensão ao risco no campo das perdas. Essa constatação demonstra que os agentes decidem com racionalidade limitada (bounded rationality), contrariando o comportamento previsto pela Moderna Teoria das Finanças e pela Hipótese dos Mercados Eficientes (HME), que prevê racionalidade ilimitada (unbounded rationality) dos agentes, com aversão ao risco em qualquer situação de escolha e focando apenas o estado final da sua riqueza. O experimento objeto deste trabalho foi realizado observando os critérios adotados no projeto delineado por Martin Weber e Colin F. Camerer (1998), com amostra composta por estudantes universitários brasileiros, simulando decisões financeiras em ambiente de sala de aula. Foi analisado o comportamento de escolha observando-se os grupos masculino e feminino, com pontos de referência centrados no preço de compra e nos preços prévios dos ativos. Os resultados observados na amostra coletada corroboram a literatura referenciada, com a constatação de que a intensidade do efeito disposição, e mesmo a sua não detecção, é dependente do sexo do decisor e do ponto de referência adotado. Espera-se que estas constatações contribuam para aumentar a discussão e o conhecimento desta abordagem comportamental nas decisões financeiras e, em especial, no ambiente acadêmico brasileiro.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102956
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
223460.pdf 1007.Kb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar