Avaliação da atividade anti-rábica in vitro de compostos fenólicos sintéticos

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Avaliação da atividade anti-rábica in vitro de compostos fenólicos sintéticos

Mostrar registro completo

Título: Avaliação da atividade anti-rábica in vitro de compostos fenólicos sintéticos
Autor: Chávez, Juliana Helena
Resumo: A raiva humana é uma doença de etiologia viral com grande impacto na saúde pública, principalmente por seu curso fatal, na grande maioria dos casos. Apesar da difundida e estabelecida profilaxia através da vacinação, acredita-se que a raiva seja responsável por aproximadamente 40.000 a 70.000 mortes por ano, especialmente em áreas endêmicas. Atualmente, não há disponibilidade de qualquer fármaco antiviral com ação específica contra o vírus rábico. Em combinação com a profilaxia, um fármaco antiviral poderia ser usado para o tratamento da raiva humana e aumentar a proteção contra a encefalite causada pelo vírus. Os compostos fenólicos (CF) são derivados do metabolismo vegetal secundário, podendo ser obtidos através de síntese. Muitos estudos demonstraram que os CF possuem inúmeras atividades farmacológicas, incluindo ações vasodilatadora, antialérgica, antiinflamatória, antiviral, entre outras. Neste trabalho, a potencial atividade anti-rábica in vitro de 24 CF foi avaliada utilizando-se células McCoy e a cepa PV do vírus rábico. A citotoxicidade (CC50) foi determinada pelo ensaio colorimétrico do MTT e a atividade anti-rábica (CE50) foi estimada através da técnica de inibição do efeito citopático viral. Isoprinosina e quetamina foram utilizadas como controles positivos. A padronização do ensaio do MTT para avaliação da atividade anti-rábica também foi realizada, mas os resultados mostraram que este ensaio é inadequado para tal avaliação. Os compostos testados apresentaram índices de seletividade (IS= CC50/CE50) que variaram de 1,0 a 3,9. Seis CF não inibiram o efeito citopático viral em qualquer grau, em concentrações = a seus valores de CC50. Quatro CF apresentaram valores de IS > 3,0. Através dos resultados obtidos, foram sugeridas algumas possíves relações estrutura-atividade. Observou-se que a presença de hidroxilas livres e de grupamentos éteres influenciou a atividade anti-rábica. Contudo, estudos adicionais são necessários para o estabelecimento dessa relação.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102819
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
223441.pdf 2.643Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar