Diretrizes para um curso de empreendedorismo social para voluntários

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Diretrizes para um curso de empreendedorismo social para voluntários

Mostrar registro completo

Título: Diretrizes para um curso de empreendedorismo social para voluntários
Autor: Rachewsky, Dilma Liège
Resumo: O presente trabalho teve como objetivo estruturar diretrizes para a elaboração de um curso de empreendedorismo social para voluntários, dentro da cultura empreendedora, utilizando a Metodologia dos 7 passos. A metodologia foi pesquisada, desenvolvida e aplicada por um grupo de pesquisadores da Escola de Novos Empreendedores - ENE, da Universidade Federal de Santa Catarina, sob a coordenação da Profª Drª Sônia M. Pereira e orientação do Prof. Dr. Fernando O. Gauthier, visando desenvolver habilidades empreendedoras em crianças e adolescentes do ensino fundamental. O sucesso e os resultados alcançados na Escola Básica Hilda Teodoro Vieira desencadearam novas ações, obtendo esta escola o primeiro lugar do Prêmio Escola Referência, além da indicação da UNESCO como uma das escolas de referência nacional. A intenção foi dar ênfase ao reconhecimento e aproveitamento de múltiplas inteligências empreendedoras no grupo de voluntários, aproveitando ao máximo as habilidades individuais em busca de um objetivo comum. Para justificar a necessidade cada vez maior de voluntários, e também para provocar a consciência de pertencimento de todos nós, num repensar da condição humana na atualidade, foram abordados aspectos da (in)sustentabilidade do homem e do planeta. E nesta luta pela sobrevivência, as diferenças se destacam, ora como convulsão, ora como solução. Uma das múltiplas soluções está em aumentar o número de empreendedores sociais. Porém, não se pode falar em empreendedorismo social sem abordar temas como criatividade, empreendedorismo, filantropia, responsabilidade social e voluntariado. Da mesma forma que as injustiças sociais estão aumentando, o número de voluntários também tem crescido. As questões eram: estariam sendo aproveitadas todas as habilidades dos voluntários, ou seja, 100% do seu potencial? Estariam os voluntários dispostos a se capacitarem? Buscando responder estas perguntas, foi utilizada a pesquisa exploratória, que teve uma abordagem quanti-qualitativa, incluindo um questionário. Pelo referido questionário, além de se ter respondidas as questões anteriores, verificou-se que o perfil do voluntário mudou: é mais jovem, com escolaridade maior, mais politizado. Em razão dos resultados apresentados, com as necessidades sendo comprovadas, obteve-se dados concretos para o embasamento das diretrizes para o curso. O objetivo foi fornecer ferramentas para um curso onde os coordenadores e os voluntários possam se reconhecer como transformadores sociais. Desta forma, o alcance do objetivo geral do trabalho foi pleno.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102763
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar