Estudo morfométrico na cicatrização de feridas cutâneas em ratos, utilizando Coronopus didymus e Calendula officinalis

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Estudo morfométrico na cicatrização de feridas cutâneas em ratos, utilizando Coronopus didymus e Calendula officinalis

Mostrar registro completo

Título: Estudo morfométrico na cicatrização de feridas cutâneas em ratos, utilizando Coronopus didymus e Calendula officinalis
Autor: Nitz, Antonio Carlos
Resumo: Há milênios o homem utiliza plantas medicinais com a finalidade de acelerar o processo de cicatrização de feridas cutâneas. Apesar do uso sistemático algumas plantas medicinais ainda não receberam o devido respaldo científico através da experimentação. Objetivo: Estudar comparativamente, através de metodologia histométrica, o potencial cicatrizante dos extratos aquosos de Coronopus didymus e Calendula officinalis. Métodos: 15 ratos Wistar, machos, pesando aproximadamente 250 g foram submetidos ao resseccionamento de um fragmento cutâneo circular de aproximadamente 1 cm de diâmetro, até a exposição da fáscia muscular. Os animais foram divididos em dois grupos. O grupo controle recebeu diariamente sobre o ferimento uma gota de soro fisiológico. O grupo experimental foi redistribuído em 2 subgrupos. O Sub-grupo CD recebeu diariamente uma gota de extrato aquoso de Coronopus didymus e no Sub-grupo CO aplicou-se diariamente uma gota de extrato aquoso de Calendula officinalis. Decorridos sete dias de experimento, os animais foram submetidos à eutanásia. A área em cicatrização foi removida e processada para confecção de lâminas histológicas coradas com H. E. Para a avaliação morfométrica utilizou-se uma ocular histométrica dotada de um retículo de 100 pontos e empregou-se uma objetiva de 100x. Resultados: A avaliação histométrica permitiu observar que o grupo controle apresentou em média 14,51 fibroblastos e 64,63 fibras colágenas por campo observado; o Sub-grupo Coronopus didymus apresentou em média 19,06 fibroblastos e 70,95 fibras colágenas e o Sub-grupo Calendula officinalis apresentou em média 17,89 fibroblastos e 68,54 fibras colágenas. Conclusões: Os resultados obtidos neste estudo permitem concluir que o extrato aquoso de Coronopus didymus mostrou-se eficiente no processo cicatricial de feridas cutâneas em ratos Wistar, uma vez que promoveu um aumento, estatisticamente significante, do número de fibroblastos e fibras colágenas. O extrato aquoso de Calendula officinalis, apesar de proprocionar um maior número de fibras colágenas e fibroblastos que o grupo controle, não apresentou diferença estatisticamente significante.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102476
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
228762.pdf 3.389Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar