A expressão de crianças e adoslescentes com diagnóstico de câncer: possibilidades, significados e caminhos para o cuidado de enfermagem sob o olhar fenomenológico

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

A expressão de crianças e adoslescentes com diagnóstico de câncer: possibilidades, significados e caminhos para o cuidado de enfermagem sob o olhar fenomenológico

Mostrar registro completo

Título: A expressão de crianças e adoslescentes com diagnóstico de câncer: possibilidades, significados e caminhos para o cuidado de enfermagem sob o olhar fenomenológico
Autor: Souza, Ana Izabel Jatoba de
Resumo: Trata-se de um estudo fenomenológico com o objetivo de compreender o significado de ser criança e ser adolescente experienciando a saúde e a doença hemato-oncológica no existir. Este foi realizado junto a vinte e uma crianças e adolescentes na faixa etária de dois a treze anos, que vivenciavam diferentes etapas do diagnóstico e do tratamento e que se encontravam internadas na unidade do centro de hemato-oncologia de um Hospital pediátrico de Santa Catarina/Brasil no período de setembro de dois mil e três a janeiro de dois mil e quatro. O estudo teve como referencial teórico filosófico a abordagem fenomenológica de Maurice Merleau-Ponty e como referencial metodológico a fenomenologia, tendo esta fundamentado a análise das expressões dos respondentes a partir dos seguintes passos: intuição sensível, intuição categorial e redução fenomenológica. Como instrumento para coleta de dados foram utilizados a entrevista e o diálogo a partir das interações diárias com os sujeitos da pesquisa, tanto na unidade de internação como em outros cenários do hospital. Os temas que contém a essência dos significados foram seis, a saber: a percepção do ser criança e ser adolescente sobre si, sobre o outro e o ambiente; a temporalidade do ser criança e ser adolescente na (con)vivência com a saúde, a doença e o tratamento oncohematológico; o visível e o invisível na expressão do ser criança e ser adolescente diante das alternâncias da saúde e da doença; o lúdico como dimensão/condição existencial do ser criança e ser adolescente; o ser criança e ser adolescente diante do cuidado de si e do outro; o ser criança e ser adolescente diante do exercício do saudável no cotidiano da doença e do tratamento. Todos estes evidenciam um ser capaz de experienciar a doença e a terapêutica sem perder o horizonte do saudável, elegendo o bom humor e o lúdico como uma das condições a partir das quais gostariam de ser cuidados. Os significados apontam para um ser lúdico, interativo, sensível, que expressa as fortalezas e fragilidades do ser humano, que cuida de si e do outro, que também precisa do outro e que pleiteia o direito ser cuidado com respeito e dignidade. O estudo evidencia: a necessidade de ações multi e interdisciplinares a fim de propiciar espaços e oportunidades institucionais para o saudável e construir políticas de atendimento que permitam uma maior cobertura em todas as fases do diagnóstico e do tratamento; valoriza a expressão dos respondentes como forma de cuidar-pesquisar em enfermagem pediátrica, e ressalta a importância de ultrapassar as metáforas de dor e sofrimento associadas ao câncer a fim de permitir a expressão das possibilidades e dos significados do que há de saudável nas alternâncias entre a saúde e a doença oncohematológica.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102220
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar