Desenvolvimento tecnológico e avaliação de formas farmacêuticas de liberação prolongada do antiretroviral zidovudina (AZT)

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Desenvolvimento tecnológico e avaliação de formas farmacêuticas de liberação prolongada do antiretroviral zidovudina (AZT)

Mostrar registro completo

Título: Desenvolvimento tecnológico e avaliação de formas farmacêuticas de liberação prolongada do antiretroviral zidovudina (AZT)
Autor: Rodrigues, Patrik Oening
Resumo: A azidotimidina, mais conhecida como zidovudina (AZT) corresponde ao fármaco antiretroviral mais amplamente utilizado no tratamento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS). Entretanto, o esquema posológico do AZT é demasiado complexo, incluindo várias administrações diárias, fazendo com que a aderência ao tratamento seja prejudicada. O desenvolvimento de formas farmacêuticas de liberação prolongada constitui uma alternativa promissora na otimização de esquemas posológicos, em resultado a maior manutenção de níveis plasmáticos de fármacos e diminuição do número de administrações diárias. Dentre as alternativas tecnológicas utilizadas com esse fim, os polímeros hidrofílicos vem sendo extensivamente empregados, a exemplo da hipromelose. Objetivo: desenvolver formas farmacêuticas de liberação prolongada do antiretroviral zidovudina a partir de sistemas matriciais formados por hipromelose. Metodologia: caracterização físico-química do fármaco e do agente formador de matriz (hipromelose) através de métodos farmacopéicos (identificação, pureza, viscosidade) e não farmacopéicos (estabilidade, determinação do padrão cristalino e morfologia das partículas). Preparação de comprimidos matriciais de AZT por compressão direta do fármaco e excipientes. Avaliação das características das matrizes quanto à resistência ao esmagamento, friabilidade, variação de peso, doseamento e umidade. Avaliação por técnicas termoanalíticas e cristalográficas da influência do processo de compressão nas características físico-químicas do AZT. Verificação das propriedades físico-mecânicas dos comprimidos matriciais. Avaliação comparativa e cinética do perfil de dissolução das matrizes. Preparação e avaliação da cinética de liberação do AZT a partir de cápsulas matriciais. Resultados: a caracterização físico-química do AZT confirmou a adequação e a qualidade da matéria-prima. A partir de estudos termoanalíticos estimou-se a validade do AZT de 427 dias. A cristalinidade do AZT, verificada por difração de raios-X de pó foi de aproximadamente 75 %, correspondendo a presença de cristais ortorrômbicos, como verificado por microscopia eletrônica de varredura. A caracterização físico-química da hipromelose demonstrou a adequação da matéria-prima quanto às especificações farmacopéicas. O padrão cristalino e morfológico das partículas caracterizaram-na como material preferencialmente amorfo. Os comprimidos matriciais produzidos por compressão direta apresentaram especificações farmacopéicas adequadas, não sendo evidenciada a influência do processo de compressão nas características físico-quimicas do AZT. A avaliação físico-mecânica das matrizes caracterizou os processos de captação de água, intumescimento e erosão das matrizes. A captação de água foi matematicamente elucidada (com exceção de F1) como um processo Fickiano de difusão, sendo influenciado pelo AZT. F1 adequou-se a um modelo de função racional. O modelo matemático de Hixson-Crowell melhor descreveu o perfil cinético de erosão das matrizes. O perfil de dissolução dos comprimidos matriciais evidenciou semelhança entre as formulações, com exceção de F1 que se mostrou menos estável. O processo de liberação do AZT pelas matrizes foi regido por uma cinética anômala descrita pelo modelo de Korsmeyer-Peppas. Entretanto, a liberação do AZT por cápsulas matriciais apresentou perfis distintos, evidenciando a influência do processo de compressão na liberação do AZT. A cinética de dissolução dessas formas farmacêuticas foi condizente com os modelos de Higuchi para a formulação com maior conteúdo de HPMC e Higuchi/Korsmeyer-Peppas para a formulação com menor conteúdo. Conclusão: a partir dos resultados verifica-se que o desenvolvimento de matrizes de liberação prolongada do AZT constitui uma alternativa tecnológica promissora na otimização do esquema posológico do tratamento da AIDS. Como perspectiva, entretanto, sugere-se a otimização e o estudo in vivo das formulações.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Farmácia, Florianópolis, 2005.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102219
Data: 2013-07-16


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
272753.pdf 8.060Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar