Microesferas de quitosana contendo corante urucum preparadas pelas técnicas de coacervação, impregnação e spray drying: estudo de liberação controlada e adsorção

DSpace Repository

A- A A+

Microesferas de quitosana contendo corante urucum preparadas pelas técnicas de coacervação, impregnação e spray drying: estudo de liberação controlada e adsorção

Show full item record

Title: Microesferas de quitosana contendo corante urucum preparadas pelas técnicas de coacervação, impregnação e spray drying: estudo de liberação controlada e adsorção
Author: Parize, Alexandre Luis
Abstract: Este trabalho teve por objetivo investigar o potencial da quitosana como agente encapsulante e adsorvente para o corante de urucum. A partir da quitosana obteve-se, pelo método de separação de fases (coacervação simples), microesferas de quitosana e através do carregamento das mesmas com o corante natural de urucum, pelos métodos de impregnação, coacervação, modificação química e spray drying, conseguiu-se os produtos da microencapsulação do corante. Através de análise de IV e DSC observou-se que as amostras impregnadas e coacervadas apresentam interações quitosana/corante de natureza física enquanto que a amostra modificada quimicamente apresenta interações de natureza química. Todos os produtos apresentaram-se sem poros e fissuras garantindo, as características do corante e estabilidade. Através da técnica de spray drying, observou-se por IV, que as amostras microencapsuladas, possuem interações iônicas, onde o grupo -COO- do ácido interage com o grupo -NH3+ da quitosana. Através da liberação do corante em meio ácido, observa-se que a amostra coacervada apresentou maior velocidade de liberação do corante. Observou-se neste trabalho, que o mecanismo de liberação é do tipo super caso II de transporte. Verificou-se, a influência da concentração do corante nas amostras, frente à liberação e a liberação à diferentes temperaturas. Nos estudos de adsorção do corante com microesferas de quitosana reticuladas o pH 2,0 foi o melhor pH de adsorção e para microesferas de quitosana não reticuladas o melhor pH é o pH 7,0. Foram também realizados estudos cinéticos de adsorção e de isotermas de adsorção para os pH ótimos de adsorção.
Description: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas. Programa de Pós-Graduação em Química
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102173
Date: 2005


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar