Percepções de professores universitários sobre as relações interprofissionais que levam a estresse

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Percepções de professores universitários sobre as relações interprofissionais que levam a estresse

Mostrar registro completo

Título: Percepções de professores universitários sobre as relações interprofissionais que levam a estresse
Autor: Ulrich, Elizabeth
Resumo: O homem é um ser social, tem necessidades, transforma e é transformado pelo seu trabalho. O conhecimento sobre os fenômenos que interferem no trabalho humano é um fator necessário para entender o processo laboral como um todo. Verificar as percepções de professores universitários sobre as relações interprofissionais que levam a estresse, possibilita aferir o quanto os professores compreendem formas de relacionamento interpessoal como possíveis determinantes de desgaste físico e psicológico. Foram entrevistados 11 professores, cinco com dedicação exclusiva e seis com dedicação parcial, de uma organização municipal de ensino superior de uma cidade do interior do estado do sul do país. As perguntas abrangeram temas relacionados a interações interpessoais nas situações de trabalho em que os professores consideram: agradáveis, desagradáveis, que gostariam ou não de vivenciar, situações temidas, bem como as reações e sentimentos diante delas. No total de indicações feitas por professores com dedicação exclusiva e com dedicação parcial, aproximadamente metade das verbalizações de cada um dos grupos indicaram como situações agradáveis que vivenciaram em seu trabalho aspectos relacionados a relacionamentos interpessoais. Como aspectos que os agradam em seu trabalho, a categoria Relacionamento Interpessoal, aparece como a mais indicada com 70% para professores com dedicação parcial e 50% para professores com dedicação exclusiva. Como aspectos que os desagradam em seu trabalho, professores com dedicação exclusiva indicam Formação de Alunos (68%) como categoria mais indicada e professores com dedicação parcial indicam Relacionamento Interpessoal (45%). Quanto as percepções sobre relações interpessoais no ambiente de trabalho a maior proporção de aspectos informais são indicados como situações que os professores consideram agradáveis comparando a aspectos profissionais. Os aspectos indicados em maior proporção quanto a situações que os professores consideram desagradáveis foram os comportamentos de colegas, como falta de coleguismo e falta de ética. De maneira geral professores de ambos os grupos tendem indicar mais aspectos desagradáveis do que agradáveis tanto em relação ao seu trabalho, como em situações específicas de relação pessoal. Essa percepção pode favorecer um desgaste físico e psicológico desses professores. Tendo em vista a análise dos aspectos sobre a natureza das relações interpessoais no ambiente de trabalho do professor universitário e o quanto a percepção é facilitadora para a aquisição de comportamentos preventivos, é possível trazer à prática ações de transformação rumo a possibilidade de uma dimensão mais humana do trabalho docente.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102002
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
224842.pdf 600.3Kb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar