Alimentação de pós-larvas de dourado Salminus brasiliensis (Pisces, Characidae) em viveiros de piscicultura

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Alimentação de pós-larvas de dourado Salminus brasiliensis (Pisces, Characidae) em viveiros de piscicultura

Mostrar registro completo

Título: Alimentação de pós-larvas de dourado Salminus brasiliensis (Pisces, Characidae) em viveiros de piscicultura
Autor: Ribeiro, Daniela Flávia Orísia
Resumo: Com o objetivo de descrever a dieta das pós-larvas de dourado, Salminus brasiliensis, em ambiente confinado com manejo comercial, foram realizadas coletas diárias por doze dias em três viveiros de terra (810 m2, 900 m2 e 1480 m2) da Estação de Piscicultura de São Carlos (SC). Os viveiros foram estocados com pós-larvas com cinco dias de idade na densidade de 30 pós-larvas/m². Além do alimento natural presente nos viveiros as pós-larvas receberam ração comercial. Para a descrição da dieta foram coletadas pós-larvas de dourado com rede de zooplâncton e rede de arrasto com malha 1,5 mm sendo que esses indivíduos foram conservados em formol tamponado 4% para identificação posterior do conteúdo estomacal. Para avaliação da disponibilidade de alimento vivo, amostras de zooplâncton foram obtidas diariamente. Para a quantificação do volume do alimento presente no estômago, foi utilizado o grau de repleção estomacal. Os resultados indicaram preponderância do alimento natural sobre a ração comercial em todo o período de estudo. Os itens alimentares presentes no viveiro estiveram presentes no conteúdo estomacal das pós-larvas de todos os viveiros, com predomínio dos itens larva de inseto e cladócero. Em cativeiro as pós-larvas de dourado podem ser consideradas generalistas, pois consomem pequena quantidade de diferentes itens alimentares, apresentando tendência a especialização com predominância de determinados itens em função do estágio de desenvolvimento das pós-larvas. Observou-se também acentuada atividade alimentar uma vez que 94% dos estômagos apresentaram alimento durante as coletas, não tendo sido registrado nenhum caso de canibalismo, comportamento característico da espécie em laboratório.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Aquicultura.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/101588
Data: 2005


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
222723.pdf 1.244Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar